opinião

Fomos à nova sede da PHC Software e ficámos absolutamente deslumbrados

O espaço tem mais de quatro mil metros quadrados, com tecnologia de ponta. É um verdadeiro escritório do futuro.
O átrio principal.

É sexta-feira, dia 28 de maio. O relógio marca 15 horas, o termómetro 27 graus. Estacionamos à porta da nova sede da PHC Software, na Avenida Prof. Dr. Cavaco Silva, no Taguspark. Quem nos recebe é Nuno da Silva Jorge, head of corporate affairs da multinacional portuguesa que conta com 227 funcionários e mais de 34 mil clientes, espalhados por 25 países.

A PHC nasceu há 31 anos, pelas mãos de Ricardo Parreira (relembre a entrevista da NiO) e dedica-se ao desenvolvimento de software de gestão. Inspirada em hubs criativos como Silicon Valley, a Meca do desenvolvimento tecnológico, a House of Digital Business, nome da nova sede, foi inaugurada no dia 13 de abril.

São mais de quatro mil metros quadrados, com capacidade para 300 postos de trabalho, que foram pensados de raiz, para um híbrido entre o teletrabalho e o trabalho presencial (algo que já existia na PHC ainda antes da pandemia). Ao todo, foram três anos de estudo e construção deste espaço disruptivo que pretende fomentar a cooperação e criatividade dentro da sede.

“Bem-vindos”, diz-nos Nuno Jorge, com orgulho no olhar e na voz. Nuno fez parte da task force criada por funcionários para o desenvolvimento deste projeto e não é de admirar que o sinta como seu. Mostra-nos todos os cantos desta grande casa, conta-nos os pormenores e destaca todos os objetivos e fun facts.

Enquanto passa por nós um funcionário de trotineta, dirigimo-nos para a primeira sala. “Cada espaço tem um nome em que a sua tradução em inglês tem um significado relacionado com programação. Esta é a árvore.” Nuno Jorge abre a porta e na sala de reuniões encontra-se uma árvore falsa, mas imponente e inesperada.

O mesmo se passa com salas como a semente ou a raiz — tudo foi pensado ao pormenor, e mistura materiais como o betão com elementos orgânicos, como a raiz verdadeira que se encontra na sala com o mesmo nome. No átrio central fica a grande escadaria com almofadões coloridos para as grandes apresentações.

É também no piso de baixo que fica o auditório e o espaço para refeições, onde os funcionários podem tomar o pequeno-almoço todos os dias, de forma gratuita, e onde o sentido de humor, um pouco geek como uma empresa de software pede, prevalece. Para fugir às habituais fitas vermelhas e brancas que impedem a utilização de algumas cadeiras devido à pandemia, e para promover o distanciamento social, existem várias figuras em cartão, praticamente à escala real, que ocupam alguns dos lugares. “É possível almoçar com a Rainha Isabel II, o Obama, ou a Jessica Rabbit [risos].”

Subimos ao primeiro piso e conhecemos os espaços de trabalho em open space. A acústica foi um dos focos principais do edifício. Vários especialistas desta área desenharam o espaço para o maior conforto acústico, assim, o som não se propaga de forma a incomodar quando, por exemplo, duas pessoas a conversarem passam perto deste local com secretárias. Também as pequenas salas para reuniões one on one são totalmente isoladas acusticamente.

Ao todo, foram estudados 30 pontos, incluindo os materiais e a própria decoração. Todas as cadeiras e secretárias são ergonómicas e até foram pensadas para a situação atual, ou pandemias futuras. As secretárias da PHC são anti-vírus. Se um vírus tocar na sua superfície, é absorvido e aniquilado em 10 segundos.

“Este foi o espaço que maior discussão nos deu [risos]”, Nuno Jorge aponta para o cantinho Cine. “Queríamos quatro posters de filmes, mas foi quase impossível decidir quais. Acabámos por escolher estes que consideramos serem dos mais icónicos [“Star Wars”, “O Padrinho”, “Regresso ao Futuro” e “Pulp Fiction”].”

Se até aqui já nos parecia o espaço mais cool para trabalhar, faltava ainda a melhor parte. A sala de convívio está equipada com instrumentos dignos de uma banda cabeça de cartaz nos maiores festivais. E, além disso, há uma sala Arcade e um espaço exterior para os melhores sunset, com cerveja à pressão e tudo.

Já o estacionamento subterrâneo, tem lugares para todos os funcionários, carregadores para carros elétricos, e o acesso para a zona de saúde e bem-estar. É la que se encontra um ginásio com uma vista incrível e muita luz natural, como em todo o edifício, um gabinete de estética, e um estúdio para gravações.

Carregue na galeria para conhecer mais fotografias da House of Digital Business.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA