na cidade

Roteiro New in Oeiras: 11 spots que toda a gente tem de conhecer no concelho

Visitámos quintas, jardins e outras zonas de Oeiras com o novo smartphone Huawei P60 Pro na mão.
O farol mais famoso do concelho de Oeiras.

Provavelmente, já passou várias vezes pela Avenida Marginal ou pela Ponte 25 de Abril e pensou no que estaria a fazer um farol no meio da foz do Rio Tejo. Por norma, este tipo de construções estão localizadas mais perto da costa. Porém, o caso do Farol do Bugio, a história é bem diferente. 

Onde hoje fica o farol mais famoso do concelho de Oeiras, no século XVII, era a Torre do Bugio: um edifício bastante alto e que cumpria as funções de vigia durante o dia, e de farol durante a noite. Após o terramoto de 1755 em Lisboa, a torre ficou totalmente destruída e foi mandada reedificar pelo Marquês de Pombal, vinte anos depois da catástrofe. 

Já no século XX, o Forte de São Lourenço da Cabeça Seca, como também era conhecido, e até aos dias de hoje, a sua função passou a ser apenas e só uma: sinalização marítima. Era precisamente por isso que viviam lá a tempo inteiro seis homens e durante todo o ano — muitos deles acompanhados pelas famílias. Mais tarde, a partir dos anos 80, tudo passou a ser controlado de forma remota a partir da Central da Direção de Faróis. 

Este é um dos locais mais famosos do concelho de Oeiras, mas existem vários destinos que merecem ser conhecidos com tempo e calma — e, de preferência, com uma câmara fotográfica por perto. Foi precisamente por este motivo que a New in Oeiras pegou no novo smartphone Huawei P60 Pro para preparar um guia com 11 spots que toda a gente deve conhecer.

Começámos pela Fábrica da Pólvora, que fica na Estrada das Fontainhas. Com um passado, lá está, ligado à pólvora, foi em 1995 que o Município de Oeiras adquiriu as instalações. Três anos depois transformou-as num complexo aberto a todos, virado sobretudo para programas culturais. 

Por lá pode encontrar espaços verdes, parques de merendas, parque infantil, um restaurante e bar, um auditório ao ar livre, viveiros, o Museu da Pólvora Negra que tem atividades durante todo ano e algumas exposições. Quando fotografámos a Fábrica, utilizámos uma das principais características deste smartphone: fotografias com grande pormenor ao perto e ao longe.

A câmara do Huawei P60 Pro inclui um conjunto de objetivas que controlam a distância de focagem de forma muito versátil. Isso significa que o dispositivo capta imagens nítidas em zooms de longa distância e em planos macro ou mais próximos. Esta é uma mais-valia, em especial para fotógrafos principiantes, pois evita que tenham de ter equipamentos mais complexos para captar imagens de alta qualidade.

Com esta funcionalidade, é possível fotografar um edifício distante e captar com nitidez os detalhes arquitetónicos mais minuciosos. Neste caso de fotografia de longo alcance, o intervalo de zoom recomendado é de 10-15x. Há ainda a opção de tirar uma fotografia macro e captar cada pormenor sem desfocar. 

Seguindo o nosso roteiro, junto ao rio, passámos pelo conhecido Farol da Gibalta que entrou em funcionamento em 1954 e define o eixo da barra sul do porto de Lisboa. Um pouco mais à frente, visitámos a praia da Torre, uma praia especialmente frequentada por famílias, e claro o tal Farol do Bugio.

Neste caso, as fotos ficaram perfeitas, graças à função inteligente de abertura física autoajustável de diafragma do P60 Pro, que se regula em função das necessidades do momento. Por exemplo, ao captar uma foto de uma paisagem ampla, a inteligência artificial integrada muda para a abertura essencial para capturar o máximo de luz possível, preservando os detalhes com a profundidade de campo.

Seguiu-se o Centro Desportivo Nacional do Jamor – CDNJ, que é um espaço que alia a prática desportiva ao lazer. Localizado no vale do Rio Jamor, em Oeiras, esta extensa área é procurada sobretudo por quem quer praticar desporto, correr ou passear, graças ao pinhal circundante. 

E, já que aqui estamos, é obrigatória a passagem pela Marina de Oeiras. Com diferentes valências na área do desporto, lazer, turismo e atividades náuticas, inclui ainda área comercial e de restauração, com bares e esplanadas, lojas e serviços náuticos. 

Da Marina ao Taguspark são cerca de 10 quilómetros. Este é um parque de ciência e tecnologia com cerca de 360 hectares que integra áreas como a ciência e tecnologia. Além de ter um núcleo universitário, tem várias peças de arte espalhadas elos jardins, assim como um campo de golfe, áreas de serviços e espaços comerciais.

O Palácio do Marquês de Pombal é outra paragem obrigatória. Por lá, vai poder ver um dos melhores conjuntos decorativos do período pombalino, rico em estuques e azulejos. Ali perto, com 22,5 hectares, fica o Parque dos Poetas, que tem representados 60 poetas – 50 portugueses e 10 de países ou territórios de expressão portuguesa. Com uma vista deslumbrante sobre o rio e sobre o Atlântico, pode visitar o Templo da Poesia, o Labirinto, a Ilha dos Amores ou as Fontes Cibernéticas.

Com várias estátuas e pormenores, este foi o sítio ideal para usarmos o novo motor de textura XD Fusion Pro do Huawei P60 Pro, que permite fazer fotografias com precisão de texturas reais de objetos. Para isso, a marca aconselha que apontemos o dispositivo para objetos e fotografá-los com o modo original selecionado.

Ao final do dia, aproveite para passear sem pressa, pelo Passeio Marítimo. Hoje em dia, com uma extensão total de 5 500 metros, este é provavelmente o grande local de referência do concelho de Oeiras, onde pode, correr, caminhar, andar de bicicleta, patinar ou simplesmente aproveitar a vista para o mar.

Se já estiver pouca luz, o Huawei P60 Pro está equipado com a maior abertura de diafragma física da indústria, que melhora consideravelmente a velocidade da luz que passa pela objetiva. Com estas capacidades, é possível obter fotografias vívidas com detalhes nítidos, mesmo em condições mais desfavoráveis, como ambientes com pouca luz. 

Outra dica essencial: passar pelo interior da Quinta Real de Caxias. Esta é considerada um dos elementos de maior interesse a nível histórico e arquitetónico do concelho de Oeiras, por ser única na perspetiva da arte dos jardins em Portugal e pela importância do conjunto das cascatas. 

Se estiver com pouca bateria, pare numa esplanada e carregue o telefone com o modo turbo — que permite recuperar 50 por cento da bateria em apenas 10 minutos. No final do dia, depois de conhecer todos estes spots do nosso roteiro, o melhor é ficar atento aos próximos guias que estamos a preparar para as revistas New in Setúbal, New in Coimbra, New in Porto e New in Seixal

Até lá, carregue na galeria para conhecer mais pormenores sobre os 11 locais sugeridos em Oeiras.

ver galeria
Este artigo foi escrito em parceria com a Huawei.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA