na cidade

Parque do Barrocal vence prémio internacional de arquitetura

É o segundo prémio de arquitetura que o parque de Castelo Branco consegue. Abriu há menos de um mês (com entrada livre).
O Barrocal.

O Parque do Barrocal, em Castelo Branco, venceu um dos mais reconhecidos prémios internacionais de arquitetura, o World Architecture News Awards (Wan Awards), na categoria “Paisagens Urbanas”. O anúncio foi feito pela autarquia local que adianta que o espaço destronou uma lista de oito finalistas de países como os Estados Unidos, México, Dinamarca ou Austrália.

Recorde-se que em outubro, ainda antes de abrir, o Parque do Barrocal vencera o Architecture Master Prize, novamente uma das mais reputadas distinções do setor na categoria de “Espaços Públicos”.

Depois de obras de requalificação e de alguns adiamentos, o Parque do Barrocal abriu ao público no passado dia 7 de novembro, com a promessa de ser um dos mais incríveis parques do País. 

A abertura aconteceu em plena pandemia, mas isso não quer dizer que não estejam salvaguardadas todas de medidas de segurança de colaboradores e de visitantes, de acordo com as diretivas das autoridades sanitárias no âmbito da prevenção da Covid-19. Segundo fonte do espaço, haverá controlo de entradas e saídas e recomenda-se a utilização de máscara em todo o percurso, sendo obrigatória a sua utilização na zona de entrada do parque.

O Parque Natural está integrado nos territórios classificados do Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO e da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Tejo|Tajo Internacional, com 40 hectares. Apresenta sete mirantes, diversas formações geológicas de interesse, passadiços e trilhos naturais, um parque infantil e um observatório de aves, entre outras atrações naturais.

São, na verdade, “310 milhões de anos em construção, com uma paisagem granítica característica feita de rochas geradas nas profundezas da Terra, mas moldadas e expostas por centenas de milhões de anos de movimentos tectónicos e períodos climáticos”, diz a autarquia local, que lhe chama ainda “um oásis refrescante de história natural”.

A sua origem está associada à instalação de uma gigantesca massa magmática localizada a uma profundidade estimada de 30 quilómetros e com uma temperatura de cristalização iniciada aos 750 graus, datada de há cerca de 310 milhões de anos. Aqui, a autarquia albicastrense investiu cerca de um milhão de euros, como adiantou recentemente à NiT, para salvaguardar e potenciar este importante legado histórico e natural.

O Granito do Barrocal pertence ao maciço granítico de Castelo Branco, rodeado por rochas metamórficas mais antigas, popularmente conhecidas como xistos. No parque há também cristais de apatite, zircão, ilmenite, andaluzite, cordierite e silimanite. O granito terá resultado da fusão em profundidade de materiais constituintes da crosta terrestre durante a formação de uma cadeia de montanhas por constituição do supercontinente Pangeia.

Além da riqueza natural, existe o mérito arquitetónico. A visão dos arquitetos Teresa Barão, Luis Ribeiro e Catarina Viana tem inspirado várias notícias lá fora e a glória com os referidos prémios. Tudo isto acompanhado de uma enorme biodiversidade que segue as estações do ano. Na nova plataforma do parque encontra todas as explicações, a história e as espécies que pode encontrar por lá.

O horário de funcionamento durante o inverno é entre as 10 horas e 17h30. No verão pode conhecer o parque entre as 9 e 20 horas. A entrada será gratuita pelo menos no primeiro ano a partir da data de inauguração, garante a Câmara Municipal de Castelo Branco à NiT.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA