na cidade

O peculiar “cinzeiro cósmico” com 216 milhões de anos escondido no meio do deserto

É uma formação rochosa incomum, mas é preciso caminhar várias horas até descobrir esta maravilha geológica.
Fica no Utah.

O Utah está longe de ser um dos mais concorridos estados norte-americanos, a nível de turismo, mas tem qualquer coisa de remoto a dar-lhe charme. Com montanhas em tons avermelhados, parques nacionais, desfiladeiros e deserto, é o destino perfeito para os amantes de natureza — e de aventura. Sim, porque vai ter de fazer longas (e exigentes) caminhadas para descobrir alguns dos segredos escondidos desta região oeste dos EUA.

Um deles é o Cosmic Ashtray (em português, “cinzeiro cósmico”), uma formação rochosa tão peculiar que até parece uma pequena amostra de Marte no planeta Terra. Localizado no Grand Staircase-Escalante National Monument, no terreno rochoso do deserto do Utah, encontra-se esta estranha paisagem que tem feito sucesso nas redes sociais.

Trata-se, no fundo, de um buraco gigante de areia no meio de um relevo único. Estes “poços de meteorização”, como são conhecidos, formaram-se em vários locais do sul do Utah, escavados no arenito no período jurássico. Ou seja, há mais de 140 milhões de anos.

A maioria tem dezenas de metros de largura, o que faz com que sejam os maiores poços cilíndricos deste género do mundo. No meio de todos, o Cosmic Ashtray destaca-se pela sua dimensão: tem 60 metros de largura e uma cor tão intensa que parece lava.

Além do tamanho incomum, o poço chama a atenção pela rocha com cerca de 10 metros de altura que se eleva sobre a areia. “Esta formação foi quase certamente produzida pela erosão de um rio sinuoso, agora extinto”, explicou John Bartley, chefe do departamento de geologia e geofísica da Universidade do Utah.

Quando a área secou, os vetores fortes fizeram com que uma profunda camada de areia cobrisse o fundo do buraco. Não se sabe ao certo há quanto tempo ao certo existe, mas com base na erosão das rochas ao redor do rio Colorado, os geólogos acreditam que terá até 216 milhões de anos. 

A impressionante duna laranja no interior está sempre a mudar devido aos ventos fortes do deserto.“Muda de forma, altura e posição constantemente, talvez com cada evento de vento forte”, sublinha. Estima-se que a areia possa atingir até oito metros de profundidade. 

A peculiaridade do fenómeno faz com que muitos viajantes se desloquem até ao Utah para ver este “cinzeiro cósmico” ao vivo — mas não é uma tarefa fácil. O Cosmic Ashtray fica a 22 quilómetros da cidade mais próxima, nas profundezas do árido monumento nacional.

Não há sinalização na trilha, pelo que será necessário um GPS ou mapa offline, e a caminhada é bastante exigente. O percurso começa na areia, mas terá de enfrentar rochas escorregadias para conseguir chegar à maravilha geológica, que está, literalmente, no meio do nada.

A melhor parte é que, assim que chegar, é possível descer até lá e explorar de perto esta “caixa de areia laranja gigante”. Muitos aventureiros preferem fazê-lo com uma corda, pois a descida pode ser perigosa.

Prepare-se para andar muito, já que vai caminhar cerca de 13 quilómetros (ida e volta) durante umas seis horas, dependendo do ritmo. É uma das caminhadas mais isoladas e remotas do mundo. A melhor altura para o fazer é durante a primavera (de março a maio) e o outono (de setembro a novembro), para evitar os dias quentes do verão, que tornam tudo ainda mais exigente.

Como lá chegar

Encontra bilhetes de ida e volta para o Utah, com partida de Lisboa, desde 709€. Antes de se aventurar pelo trilho, primeiro precisa de chegar à cidade de Escalante, no Utah. A partir daí, a única alternativa é mesmo o carro, que terá de deixar um pequeno parque de estacionamento a cerca de 28 quilómetros da cidade.

A seguir, carregue na galeria para ver algumas das imagens que têm sido partilhadas desta maravilha da natureza.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA