na cidade

Município de Oeiras financia projetos que não conseguiram fundos europeus

Para concorrer é preciso que as instituições de Oeiras contactem a Comissão de Acompanhamento e entreguem a lista de concorrentes.
Para investigadores.

Esta terça-feira, dia 24 de novembro, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, assinou um protocolo com a Fundação Calouste Gulbenkian. Em causa, está a criação do “Oeiras – ERC Frontier Research Incentive Awards”, um prémio de incentivo à investigação científica.

Este prémio destina-se a financiar os projetos de elevada qualidade que tenham apresentado candidatura a bolsas individuais ao Conselho Europeu de Investigação (European Research Council – ERC), mas que não conseguiram garantir fundos devido a restrições no orçamento do ERC. O Conselho é a principal entidade financiadora de projetos de investigação na Europa. 

Os projetos são de investigadores de todas as áreas, das Ciências da Vida, às Físicas e Engenharia, e Sociais e Humanas. Desde 2007, mais de 9000 projetos foram financiados pelo ERC, num total de 65 mil candidaturas.

O Município de Oeiras quer contrariar a taxa de sucesso média de 13 por cento e apoiar o Centro Colaborativo Gulbenkian do Instituto Gulbenkian de Ciência, no financiamento de candidatos do ERC.

O incentivo deverá ser utilizado para desenvolver dados preliminares e outras atividades de investigação para o aperfeiçoamento da proposta a fim de apresentá-la à ERCEA (agência executiva do ERC) no prazo de três anos. O prémio será de até 240 mil euros para projetos de dois anos, e 120 mil euros para um ano.

Para concorrer é preciso que, no prazo de dez dias úteis, após publicação dos resultados do último concurso de bolsa individual do ERC (prevista para dezembro 2020), as instituições de acolhimento do território de Oeiras contactem a Comissão de Acompanhamento constituída para o efeito e entreguem uma lista de investigadores elegíveis para o prémio.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA