na cidade

Linha vermelha do metro de Lisboa pode chegar até Algés

O projeto é uma parceria das Câmaras Municipais de Oeiras e de Lisboa e pretende diminuir o números de carros nas ruas.
A proposta é melhorar a mobilidade.

Mobilidade é uma das palavras-chave da administração do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina. Uma das propostas para melhorar o sistema de transporte público é a extensão da linha vermelha do Metro de Lisboa. Numa primeira fase, será feita a extensão até Campolide e, posteriormente, até Alcântara e o Alto de Santo Amaro, em Algés.

O projeto está a ser desenvolvido numa parceria entre as Câmaras Municipais de Lisboa e Oeiras. Segundo entrevista à TimeOut, Medina explica que num primeiro momento a extensão será feita da estação São Sebastião até Campolide (em frente ao Hotel Dom Pedro nas Amoreiras). A segunda fase leva a linha dali até Campo de Ourique e Alcântara, até então ainda subterrânea.

A proposta é que depois seja construída uma estrutura de metro de superfície a chegar até à meia encosta do Alto de Santo Amaro e que siga caminho até à Ajuda, Miraflores, Linda-a-Velha e chegue à Cruz Quebrada onde deve integrar-se com a linha 15 do eléctrico. Atualmente, o veículo vai só até Algés, mas deve voltar a ir até à Cruz Quebrada.

A ideia de ter um metro de superfície que ligue a zona ocidental de Lisboa a passar por Oeiras pretende ajudar a melhorar o trânsito, que haja um menor número de carros nas ruas e, consequentemente, que traga benefícios ao ambiente ao diminuir a emissão de poluentes.

Ainda não há uma data de início para a execução. Medina diz que o projeto de expansão até Oeiras já está a ser trabalhado com a Câmara Municipal do Concelho e o governo. A ideia é que seja apresentado ainda em 2019 e tem que estar articulado com a expansão do metro subterrâneo em Lisboa.

tags: Algés, Câmara Municipal de Oeiras, eléctrico 15, expansão, metro, mobilidade, oeiras

outros artigos de na cidade

mais histórias de Oeiras