na cidade

Já arrancou a obra para recuperar o maior edifício para habitação jovem

O prédio tem uma área de construção de mais de 2 mil metros quadrados. E investimento é de 2 milhões de euros.
A recuperação é de um edifício em Paço de Arcos.

As obras do Villa Longa já arrancaram. É o sexto edifício a ser reabilitado, em Paço de Arcos, no âmbito do programa de Habitação Jovem do Município de Oeiras. O investimento para esta empreitada é de mais de dois milhões de euros.

O prédio tem uma área de construção de 2 277 metros quadrados. As tipologias de grande dimensão, características da época da sua construção (1910), foram atualizadas e vão ser construídas 32 casas — 22 T1 e dez T0. A antiga garagem, uma inovação para a altura, vai manter o seu uso.

Segundo comunicado do município de Oeiras, o edifício Villa Longa é um dos mais significativos no concelho, “pela sua excecional presença no território e valor arquitetónico”. A obra, que consiste num investimento da câmara de 2,019 milhões de euros, vai estar a cargo da empresa Loviril, Construção Civil Unipessoal e terá uma duração de 24 meses.

O Villa Longa tem uma planta rectangular, com quatro pisos e águas furtadas. Este edifício desenvolve-se num único volume em forma de paralelepípedo. Tem características híbridas entre o espírito neoclássico e a arquitetura Arte Nova, a utilização do arco abatido e as janelas-frestas de gosto revivalista. A traça é de autor desconhecido.

As obras já começaram.

Os interiores do Villa Longa, em Paço de Arcos, são estruturados em função de um corredor central de distribuição dos espaços, com correspondência entre o interior e o exterior.

A assinatura da consignação da obra foi na quinta-feira, 13 de junho, na Travessa do Villa Longa, em Paço de Arcos. A cerimónia foi liderada pelo Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais.

tags: habitação jovem, isaltino morais, município de oeiras, oeiras, paço de arcos, prédio, recuperação