na cidade

Já conhece as novas intervenções artísticas do Taguspark?

A Tapumarte fez a curadoria e está a trabalhar com o complexo empresarial para o encher de arte urbana.
Uma das obras já implementada.

Se trabalha no Taguspark, ou se tem por hábito passear nos seus jardins, já deverá ter dado conta de algumas novidades. É o caso do patinho gigante feito de espelhos que se encontra a flutuar num lago, ou dos túneis em madeira nos jardins do núcleo tecnológico.

E o que têm em comum? Curadoria da Tapumarte, uma empresa sediada em Cascais que transforma qualquer espaço numa obra de arte. Tudo começou, como vários projetos e ideias, durante a quarentena devido à pandemia do novo coronavírus.

“Em março, quando todos fomos para casa, o Taguspark pensou numa forma de receber os funcionários na altura em que regressassem ao trabalho. Contactaram-nos para falarmos com alguns artistas que pudessem pintar paredes de garagens do espaço”, explica Adilson Lima de Auxiliador, líder da Tapumarte, à New in Oeiras.

Os artistas Youthone, Gonçalo Mar, The Caver, Styler e Clou Bourgard transformaram cerca de 15 paredes de garagens utilizadas por funcionários de empresas do Taguspark, através de graffiti. O projeto correu tão bem, que se estende agora para os jardins.

“Pensámos em instalações que pudessem estar nos jardins. Estivemos a fazer um reconhecimento do espaço durante dois a três fins de semana, e pensar na melhor forma de equilibrar a presença de betão e metal, com a natureza.”

Depois, a Tapumarte entrou em contacto com alguns artistas e juntos começaram a criar. Ao mesmo tempo, em jeito de quase coincidência, Bordalo II criava um esquilo também no jardim. Apesar de trabalharem juntos, este contacto foi feito à parte.

A empresa que explica ter como função “embelezar espaços com arte urbana”, contactou o coletivo Rethorica Studio e o artista OSIR para avançarem com as instalações ao ar livre. Os primeiros criaram túneis constituído por 200 quadrados de madeira, que se concretizam na rotação de cada quadrado em torno de um plano diretor, criando a ilusão incrível de uma curva.

O outro projeto, com OSIR e também com a ajuda de um engenheiro de aeronáutica, levou um patinho gigante feito em espelhos ao lago do Taguspark, onde continua a flutuar. “O objetivo foi criar uma instalação que servisse para refletir, em vários sentidos. Os espelhos refletem a natureza, as luzes e a sombra, consoante o local onde o pato está em determinado momento.  E queremos também que, ao olhar para ele, as pessoas possam refletir sobre a sua vida.”

A Tapumarte é liderada por Adilson, que é formado em Comunicação Empresarial e tem 44 anos, e quatro colaboradores. “Temos uma grande preocupação democrática. Além da equipa fixa, trabalhamos com cinco curadores que estão em Londres e Barcelona.”

A empresa nasceu em 2017, quando foram renovados vários tapumes no Oeiras Parque. Daí até chegar à profissionalização da arte urbana foi um percurso natural. Os próximos meses serão de várias surpresas no Taguspark, que ainda não podem ser reveladas.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA