na cidade

Há uma nova instalação maravilhosa para ver nos jardins do Taguspark

Chama-se Umbra e foi criada pelo coletivo Rethorica Studio. Ao todo, são três peças, duas delas funcionam como uma só.
O efeito é espetacular.

Há mais uma instalação no Taguspark que merece a sua visita. Depois do esquilo criado por Bordalo II e do pato gigante feito de espelhos pelo artista plástico português OSIR, é a vez de Umbra.

“O convite veio da parte do Adilson, da Tapumarte. Eles estão a trabalhar com o Taguspark na criação de instalações artísticas para dinamizar os jardins, que tanto são usados por quem trabalha no espaço, como por famílias aos fins de semana”, explica Pedro Pereira, do coletivo Rethorica Studio, à New in Oeiras.

Rethorica Studio x Distortion

Pedro Pereira, Miguel Madrinha e Vasco Duque criaram o Rethorica Studio há cinco anos, após participarem no Aura Festival, em Sintra, quando ainda eram estudantes. Vindos de áreas como a arquitetura, o design e a ilustração, fazem trabalhos nessas mesmas áreas e em design de interiores, por exemplo.

O grupo multidisciplinar já trabalhou no Village Underground, em Lisboa, na Web Summit, e no festival Boom, para nomear apenas alguns dos seus projetos. Sediados na Damaia, foi a vez de contribuírem para o Taguspark.

“Não temos um material de eleição. E depois de estudarmos o local onde iríamos trabalhar, optámos pela madeira. Isto porque o jardim está rodeado de edifícios de betão, queríamos contraria, e também entrar em sintonia com o jardim.”

Rethorica Studio x Distortion

Ao todo, são três intervenções, apesar de duas delas funcionarem como uma só. Constituído por 200 quadrados de madeira, concretiza-se na rotação de cada quadrado em torno de um plano diretor, criando a ilusão de uma curva.

Estas estruturas acrescentam novas hipóteses de percurso no jardim. Uma é mais lúdica, a outra funciona como um atalho que atravessa os jardins. Além disso, o jogo de sombras e luz é incrível.

A instalação ficará patente por tempo indefinido. “A ideia é ficar lá. Tratámos a madeira para esse propósito. O seu tempo de vida será de cinco a dez anos, no mínimo.” A Umbra pode ser visitada nos jardins do núcleo tecnológico do Taguspark.

Rethorica Studio x Distortion

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA