na cidade

Há miúdos em Oeiras que vão ter terapia assistida com animais

O Município está a investir no projeto “Ler e Cãopreender” para ajudar alunos com dificuldades.
Para ajudar os miúdos.

Quem tem um animal de estimação, percebe o que é chegar a casa e ser recebido com euforia. O cão ou o gato estão sempre lá para os seus donos. O que muitas pessoas desconhecem, é que há animais que são treinados para ajudar alunos com dificuldades de aprendizagem. O Município de Oeiras vai apostar num projeto para apoiar estudantes.

Chama-se “Ler e Cãopreender”  e promete ser um apoio para miúdos do Agrupamento de Escolas de Santa Catarina (AESC). Para começar a implementar este projeto, a Câmara Municipal de Oeiras atribuiu 2 mil euros ao AESC e 11 mil e 600 euros à PET B HAVIOR para o desenvolvimento de Terapia Assistida por Animais.

E o que é que esta terapia propõe? Vai ajudar miúdos com problemas no desenvolvimento. Há registos de benefícios da saúde física, psicológica e emocional. Este método promove as relações, potencia a capacidade cognitiva e sensorial e facilita os processos de aprendizagem, tais como a leitura, memória, concentração e socialização.

O “Ler e Cãopreender” vai ter 32 sessões de cinoterapia. Caso não se consigam realizar no ano letivo 2019/2020, por causa da pandemia Covid-19, serão ser realizadas até ao final de dezembro de 2020. Depois será feita uma avaliação para decidir a continuidade do projeto, até ao final do próximo ano letivo.

A PET B HAVIOR é uma associação sem fins lucrativos, que apresentou ao Município uma proposta de desta Terapia Assistida por Animais para idosos e a pessoas com Dificuldade Intelectual ou Incapacidade, a realizar no concelho de Oeiras.

Depois da fase experimental, esta associação apresentou resultados bastante positivos das instituições envolvidas em relação à terapia e seus benefícios nos utentes. Por isso, a Câmara decidiu dar continuidade ao projeto, alargando-o a outras entidades nas áreas da Saúde Mental e Deficiência. Assim, no total, o apoio à atividade técnica proposta para este ano ronda os 11 mil e 600 euros.

tags: animais, Câmara Municipal de Oeiras, cinoterapia, miúdos, oeiras, terapia

outros artigos de na cidade

mais histórias de Oeiras