na cidade

Covid-19: moradores juntam-se para dar bens essenciais a oeirenses

Os alimentos recolhidos vão ser distribuídos por famílias que estão a passar dificuldades económicas.
Foram recolhidos muitos alimentos.

Em Oeiras, o espírito de solidariedade durante a pandemia Covid-19 tem sido bem notório. Há pessoas a fazer máscaras comunitárias, um jovem constrói viseiras para profissionais de saúde e voluntários levam as refeições a casa de quem mais precisa.

E foi precisamente com o objetivo de ajudar o próximo, que vários moradores da Urbanização Jardim dos Arcos se uniram para para dar bens alimentares a quem mais precisa. Na passada sexta-feira, 8 de maio, o Presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais e a Presidente da União das Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias, Madalena Castro, receberam esta doação.

A contribuição destes oeirenses vai servir para ajudar pessoas que estão a passar dificuldades económicas. “Com a pandemia por Covid-19 e consequente confinamento, o número de famílias com dificuldades financeiras tem registado valores acima do comum, resultando num aumento de pedidos de apoio alimentar”, revela Isaltino Morais na sua página de Facebook.

Os moradores vieram à janela.

O líder da Câmara de Oeiras tem falado abertamente sobre a solidariedade entre os oeirenses e tem feito vários agradecimentos a empresas e particulares que têm ajudado o Município. No entanto, Isaltino Morais já deixou um apelo para que as caixas solidárias não continuem a ser utilizadas no concelho.

“Promovidas como meio de ajudar a pobreza envergonhada, a ‘caixa solidária’, sob o lema do ‘leve o que precisa, deixe o que não faz falta’, o que faz é tratar as pessoas como animais errantes, procurando alimento num canto ou numa caixa. Isto é totalmente contrário aos princípios que devem nortear uma sociedade decente, e é violador da dignidade dos que menos têm”, explica o autarca em comunicado.

Desde o inicío da pandemia Covid-19 que a Câmara Municipal tem adotado medidas de combate à pobreza no concelho, como o aumento da verba para o Fundo de Emergência Social e o apoio financeiro a várias entidades.

“Apoiamos todos, absolutamente todos, que necessitem de apoio. Seja em rendas de casa, abastecimento doméstico, aquisição de medicamentos, refeições confecionadas e equipamentos de proteção individual. O Município de Oeiras tem capacidade para apoiar todos os que necessitem de apoio. Esta política municipal, que não é nova, mas que foi incrementada em função das dificuldades do atual tempo que vivemos, decorre de uma posição originária e do contexto do nosso Concelho”, sublinha Isaltino Morais no mesmo comunicado.

tags: bens essenciais, coronavírus, covid-19, isaltino morais, oeiras, solidariedade

outros artigos de na cidade

mais histórias de Oeiras