na cidade

Covid-19: festas populares e festivais podem causar mais de 350 mil infeções

O aviso é deixado por um relatório do Instituto Superior Técnico (IST). Recomenda ainda o uso de máscara para evitar contágios.

Depois de dois anos sem grandes eventos, as festas populares e os festivais de verão voltam a realizar-se em 2022. Apesar do menor número de restrições, a verdade é que a pandemia ainda não terminou. Um relatório do Instituto Superior Técnico (IST) estima que as festividades possam trazer mais de 350 mil novos casos de infeção no País.

“Todas as festas populares no país poderão traduzir-se num total de contágios diretos num mínimo de 350 mil, podendo atingir valores mais elevados se novas variantes entrarem em Portugal”, explica o relatório enviado à Lusa, aqui citado pelo “Notícias ao Minuto”.

A maior concentração de novos casos poderá refletir-se nas duas maiores cidades de Portugal “onde poderemos ter um mínimo de 60 mil contágios nos dias mais movimentados em Lisboa e 45 mil no Porto”.

Além das festas populares, também os festivais de verão poderão significar um aumento de infeções. O relatório dá o exemplo do Rock in Rio que poderá resultar em mais de 40 mil novos casos. De forma evitar criar um novo pico, a recomendação passa pelo uso de máscara nestes eventos.

“Reforçamos a recomendação do uso de máscara em grandes eventos de massas ao ar livre, em festas populares, em concertos e eventos em ambiente fechado, nos transportes públicos e em contexto laboral quando há proximidade entre trabalhadores inferior a dois metros.”

O relatório explica ainda que depois do verão poderemos assistir a uma nova vaga. “Há uma indicação que no início de setembro, com um erro de 15 a 20 dias, teremos o início de uma nova vaga pandémica”.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA