na cidade

Sabia que a A5 foi inaugurada há quase 80 anos?

Esta autoestrada é das mais antigas em Portugal e uma das mais movimentadas, ligando o município de Oeiras a Cascais e Lisboa.
A5 após a inauguração.

O ano era 1942 e a construção da autoestrada, na altura nomeada estrada nacional número 7, iniciava-se sob a ordem do Ministro das Obras Públicas, Duarte Pacheco. O primeiro troço, que ligava Lisboa ao Estádio Nacional do Jamor, acabou por ser inaugurado dois anos mais tarde, em 1944, há cerca de 80 anos atrás.

A “Gazeta dos Caminhos de Ferro”, numa publicação dedicada à inauguração da via, descreveu como era a A5 antigamente. “A largura total da plataforma é de 22 metros. Cada pista, que permite duas filas de veículos, está dividida a meio por um traço, sendo a metade exterior para a circulação normal e a interior para as ultrapassagens”. Na altura teria também uma faixa com relva a dividir ambas as direções. 

Troço da A5 concluído.

A Avenida Marginal já existia e, não sendo suficiente para a quantidade de tráfego, houve necessidade de criar outra zona onde a circulação fosse rápida e segura. Numa publicidade de 1957, a propósito da construção da A5, lê-se que “o aumento vertiginoso do número de veículos no mundo obrigou os engenheiros a estudar novas técnicas que pudessem garantir as exigências do tráfego moderno”.

Em 1973, um ano depois do surgimento da Brisa, a construção do troço até Cascais é posto em prática, sob a responsabilidade da concessionária. Mas, com o 25 de abril no ano seguinte, as obras atrasaram-se e apenas ficaram concluídas no início dos anos 90, já no mandato de Aníbal Cavaco Silva, enquanto primeiro ministro. 

Apesar da inauguração desta autoestrada, com cerca de 25 quilómetros, ter sido uma mais valia para os concelhos de Cascais, Lisboa e Oeiras, a polémica gerada à volta do impacto ambiental do projeto motivou protestos por parte de associações ecológicas e até de autarcas das regiões. A empresa responsável foi obrigada, entre outras medidas, a acrescentar barreiras para diminuir o ruído ao longo da estrada e implementar refletores para a proteção de aves migratórias.

Nos últimos 30 anos, a A5 veio a sofrer vários alargamentos, como por exemplo em Carnaxide e em Alcabideche, por ser uma mais valia para os três concelhos que a abrangem. 

Para o município de Oeiras, esta autoestrada, que é uma das mais antigas do País, trouxe novas oportunidades a nível do turismo e do comércio, facilitando também a circulação à população trabalhadora. É, desde os anos 40, mais rápido aos oeirenses aceder à capital e, desde os anos 90, mais fácil aceder a Cascais. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA