na cidade

Jorge Barreto Xavier: “O projeto Oeiras 27 é um olhar para o futuro”

A New in Oeiras entrevistou o comissário da candidatura para Capital Europeia da Cultura em 2027.
A iniciativa tem cinco eixos estratégicos.

No dia 14 de janeiro, a Câmara Municipal de Oeiras lançou o projeto “Oeiras 27”, uma marca estratégica que irá integrar a candidatura para Capital Europeia da Cultura em 2027. A New in Oeiras entrevistou o Comissário da Candidatura, Jorge Barreto Xavier.

De relembrar que a iniciativa tem cinco eixos estratégicos: Oeiras, Ecossistema Urbano; Oeiras, Capital da Poesia e das Culturas de Língua Portuguesa; Oeiras, Capital das Artes e da Criatividade; Oeiras, Capital das Heranças Culturais; Oeiras, Capital do Património Marítimo.

“Alguns dos projetos serão criados de raiz, outros tratam-se de intervenções, como é o caso do Convento da Cartuxa. O calendário de trabalhos depende de questões políticas, procedimentais e financeiras. Mas posso adiantar que teremos todos os projetos concluídos entre 2023 e 2027”, indica Barreto Xavier à New in Oeiras.

Está prevista a construção do Centro Cultural de Linda-a-Velha, que terá uma sala de espetáculos para 1400 pessoas; a construção do Centro de Congressos de Paço de Arcos; a construção do Hub de Indústrias Criativas de Porto Salvo; e a construção do centro de interpretação do Castro de Leceia. 

Além disso, estão contempladas a reabilitação do Convento da Cartuxa (Caxias) para receber um centro internacional de artes contemporâneas, da Bateria do Areeiro (Oeiras) para um projeto museológico sobre as fortificações marítimas, da Fábrica de Cima da Fábrica da Pólvora para um centro na área das artes cinematográficas, performativas e visuais, e da Estação Agronómica Nacional para um conjunto de utilizações polivalentes.

O Palácio Marquês de Pombal, em Oeiras, será também transformado numa unidade museológica na área das Artes, Ciências e Tecnologias, e está previsto o desenvolvimento de uma programação sistémica na área da poesia no Parque dos Poetas e Templo da Poesia. Estão ainda em desenvolvimento várias praças em diversos pontos do concelho, que vão acolher equipamentos culturais e tecnologias de ecrãs e sensores.

Todo o conjunto de intervenções que compõe o “Oeiras 27” irá acontecer, independentemente de Oeiras ser escolhida como Capital da Cultura Europeia. “Estamos a lutar para vencer esse título. Porém, o projeto estratégico não depende dessa circunstância.”

Quando questionado sobre o projeto ou infraestrutura mais diferenciador, Jorge Barreto Xavier não quer individualizar. “Até seria injusto, consideramos que o todo vale mais do que as partes. É uma articulação entre o município, a sociedade civil e as empresas. Queremos transformar Oeiras numa cidade, não no sentido autárquico, mas comunitário do termo, uma cidade em rede, em que a cultura é o cimento para a sua construção.”

O potencial deste novo passo não atinge apenas o concelho, mas sim a área de Lisboa e Grande Lisboa. Prova disso é o apoio anunciado dos concelhos vizinhos. “Houve desde logo uma conversa com os presidentes das câmaras. Lisboa, Cascais, Sintra, Amadora, Almada e Mafra mostraram logo uma abertura expontânea e sincera. Percebem como valorizará toda a região. Estamos a trabalhar de forma cooperante e não competitiva.”

O projeto “Oeiras 27” tem ainda uma comissão de Honra, presidida pelo general António Ramalho Eanes e que inclui o presidente da CIP, António Saraiva, a cientista Elvira Fortunato, os atores Eunice Muñoz e Ruy de Carvalho, o bailarino Marcelino Sambé, a cantora brasileira Maria Bethânia, o designer francês Philippe Starck e a campeã olímpica Rosa Mota. Os convidados foram escolhidos pela sua “excelência nas respetivas áreas” e “mensagens importantes” que irão transmitir.

A pandemia veio, como em todos os setores da nossa vida, abalar um pouco também esta iniciativa. No entanto, Jorge Barreto Xavier considera que “não podemos baixar os braços e ficar exclusivamente a lamber as nossas feridas”, este é um projeto a “médio/longo prazo” e que pensa no País pós-pandemia. “O projeto Oeiras 27 é um olhar para o futuro”.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA