na cidade

Bailarino de Paço de Arcos é promovido no Royal Ballet, em Londres

Marcelino Sambé conseguiu superar uma infância difícil e é hoje uma estrela de bailado.
Marcelino participou da produção The Nutcracker.

Aos 25 anos, Marcelino Sambé está a realizar um sonho: ser promovido a bailarino principal no The Royal Ballet, em Londres. O anúncio foi feito pelo diretor da companhia, Kevin O’Hare, na página oficial da Royal Opera House, referindo que o jovem assume o lugar de topo na próxima temporada, 2019-2020.

O bailarino de Paço de Arcos já fez história, ao ser um dos primeiros portugueses a entrar para a lista de jovens inovadores, influentes e que causam um impacto positivo no mundo em diversas áreas de atuação, quando foi nomeado para a lista dos 30 under 30 Europe 2018 da revista americana Forbes. A notícia chegou em dezembro e, nesta sexta-feira, 7 de junho, Marcelino Sambé é novamente notícia, desta vez no Reino Unido, ao ser anunciado que seria bailarino principal de uma das companhias mais respeitadas do mundo, The Royal Ballet, de Londres.

Segundo o “Observador“, citando a “Lusa”, Marcelino Sambé é filho de pai guineense e mãe portuguesa. Nasceu em 1994 e começou a dançar com apenas quatro anos. Aos dez entrou na Escola de Dança do Conservatório Nacional, num percurso que tem sido muito premiado, principalmente em competições em palcos internacionais.

O jornal britânico “The Times” dedica um artigo de fundo ao recém promovido bailarino. E faz referência a uma infância nada fácil. O pai de Marcelino Sambé morreu quando o bailarino era bastante novo. A mãe não conseguiu fazer face a todos os problemas e Sambé acabou por ser criado por uma família adotiva.

A dança começou quando o pequeno mostrou os seus dotes de dança à psicóloga que o acompanhava. “Ela pensou que eu devia fazer um casting para uma escola de dança”, refere Sambé à publicação britânica. 

E o bailarino nunca mais parou. Em 2012, entrou na companhia The Royal Ballet, em Londres, depois de ter passado pela escola de dança da instituição. Nesse mesmo ano foi considerado pela Youth Dance England um dos coreógrafos emergentes do Reino Unido.

Recebeu o prémio de excelência de atuação clássica nos Prémios Nacionais de Dança do Reino Unido pela interpretação em “La fille mal gardée”, em 2017. E no ano passado foi distinguido pela revista Forbes quando foi nomeado para a lista dos 30 under 30 Europe e já na altura a ambição de Marcelino Sambé era ser bailarino principal do The Royal Ballet. Agora está a viver o seu sonho e a aprender com os melhores da área.

O jovem já participou em grandes bailados e foi bastante elogiado pelo diretor do The Royal Ballet, Kevin O’Hare, dizendo que Marcelino Sambé tem um “impressionante leque de capacidades artísticas”, acrescentando que o bailarino teve “um ano fantástico com algumas estreias notáveis”, nomeadamente nos espetáculos “Don Quixote”, de Carlos Acosta, e “Romeu e Julieta”, de Kenneth MacMillan.

tags: 30 under 30, bailarino, londres, Marcelino Sambé, oeiras, paço de arcos, The Royal Ballet