na cidade

A primeira rotunda subaquática do mundo já abriu — e as imagens são incríveis

A estrutura em forma de medusa fica num túnel subterrâneo que liga duas das Ilhas Faroé, com 11,2 quilómetros de extensão.
É surreal.

Já abriu ao trânsito o maior túnel subaquático das Ilhas Faroé — e, com ele, ficou acessível para usufruto prático e deslumbre turístico aquela que é a primeira rotunda subaquática do mundo. Trata-se de uma incrível, gigante e surreal estrutura, erguida com rocha natural e decorada pelo artista faroense Tróndur Patursson, que lembra uma medusa ou uma nave espacial saída de um filme de ficção científica, consoante as opiniões.

Com imagens vagas e a lembrar ambientes subaquáticos — ou não estivesse a rotunda em baixo do Oceano Atlântico — e sensações futuristas, com cores azuis e verdes constantemente iluminadas, vultos de pessoas como arte em seu redor, a rotunda do Eysturoyartunnilin começou a funcionar no final do mês de dezembro de 2020.

A obra estrutural e de arte sem paralelo fica num novo túnel — o Eysturoyartunnilin ou Túnel Eysturov — com mais de 11 quilómetros debaixo de água, que liga duas das maiores e mais importantes Ilhas Faroé, a Skálafjør andur e Tórshav, separadas até agora pela baía Skálafjørður.

A atravessar esta baía, no fundo do mar, está agora a nova ligação rodoviária e, no seu final, a surreal rotunda em forma de medusa, projetada por Trondur Patursson. É toda feita de rocha natural, tal como a rede mais ampla de túneis onde se insere.

A estrutura foi erguida debaixo do Oceano Atlântico Norte, onde já se encontravam uma série de túneis subaquáticos que ligam as ilhas que compõem o arquipélago das Faroé.

Dentro desta rede, o arquipélago abriu este que é o terceiro de 18 túneis entre ilhas. Mas ainda antes da inauguração, a nova rede já tinha começado a causar impacto mundial, como a NiT noticiou, quando começaram a surgir as fotos do seu ponto central: a tal rotunda subaquática, a 187 metros abaixo do mar, com luzes e em tons azul turquesa.

Como se isto não bastasse, as luzes mudam regularmente de cor entre o azul, o amarelo e o verde e como que dançam, sendo que o seu autor explicou, no final do ano à norte-americana CNN, que a estrutura iluminada simboliza a passagem da escuridão para a luz, além de invocar a tradicional dança das correntes das Ilhas Faroé, em que as pessoas dão as mãos e criam anéis humanos.

Segundo conta o canal de turismo das Ilhas Faroé, este sonho tem já mais de 20 anos: começou em 1999 quando um então jovem estudante, Tóki Højgaard, da pequena vila Rituvík, na ilha Eysturoy, foi a primeira pessoa a mencionar o importante que seria criar um túnel subaquático entre as duas ilhas vizinhas. Tóki Højgaard tinha 25 anos quando, em 1999, escreveu um comentário no jornal local Dimmalætting sobre um túnel sob o estreito de Tangafjørður, adianta o mesmo canal.

15 anos depois, em 2014, o parlamento nas Ilhas Faroé aprovou a construção de um túnel a ligar a capital, Tórshavn, a dois pontos Runavik e Strendur, ambos na ilha Eysturoy. Os trabalhos de construção começaram em 2016, tendo levado quase quatro anos a concluir. Como outros detalhes incríveis, saiba que nenhuma inclinação no túnel é superior a 5 por cento e que o ponto mais baixo fica a 187 metros abaixo da superfície da água.

Além da beleza, a rotunda e respetivo túnel são também super úteis: duas das principais ilhas do arquipélago encurtarão distâncias em quase uma hora de viagem: de mais de uma hora de caminho, este poderá passar a demorar cerca de 16 minutos.

As autoridades locais esperam ainda que o túnel e a rotunda ajudem a estimular o turismo, não só pela óbvia melhoria nas acessibilidades, como pela atratibilidade devido ao fator decorativo e surreal do espaço subterrâneo e da sua iluminação por cores.

 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA