fit

Uns preferem fiambre, outros presunto. Afinal, qual é a opção mais saudável?

São ambos muito comuns nas refeições dos portugueses, mas nem todos sabem qual deles é o melhor. A nutricionista explica.
Cuidado com as quantidades.

Os enchidos são uma instituição da cultura gastronómica nacional. Nasceram da necessidade de aproveitar ao máximo a carne dos animais e garantir uma fonte de proteína durante os meses mais rigorosos. Existem inúmeras receitas destes produtos de charcutaria, cada uma com o seu tempero e toque regional, e estão presentes em vários pratos tradicionais. São apreciados por todo o País, porém, existem dois que se destacam como os mais consensuais: o fiambre e o presunto.

Ambos são consumidos diariamente por muitos portugueses: afinal,  uma sandes com uma ou duas fatias, de um ou outro, e uma sopa bastam para fazer um almoço ou jantar rápidos. Daí a dúvida: qual devemos escolher quando o objetivo é tornar a refeição mais saudável?

Existem diferenças significativas entre os modos de fabrico do fiambre e o tradicional presunto — e a escolha pode ser difícil. A nutricionista Bárbara de Almeida Araújo dá uma pista: “um é muito mais saudável que o outro. E é provável que poucos saibam qual é”, afirma.

Os produtos de charcutaria são, no geral, uma fonte de proteína animal de alto valor biológico e de gordura, sobretudo de gordura saturada e colesterol. No entanto, também são, quase todos, muito processados. Para produzir fiambre, por exemplo, é utilizada carne de porco ou de aves que é submetida a um processo de salmoura e depois moldada, cozida e refrigerada.

Ninguém discorda que este é uma fonte de proteína prática e acessível. E muitos acreditam que é uma opção saudável — principalmente se for de peru ou de frango. Porém, não é bem assim. “Altamente processado, é rico em sal, açúcares e muitos aditivos como os nitratos e os intensificadores de sabor”, começa por explicar a especialista em nutrição. E continua: “Comparando o fiambre de aves com o fiambre da perna verifica-se que ambos possuem elevado teor de sal. O de aves tem um teor de gordura saturada mais baixo, mas também mais açúcar e menos proteína do que o da perna”. Em termos de ingredientes são similares uma vez que ambas as opções contêm muitos aditivos e, por isso, “nenhum [fiambre] é considerado saudável”.

Em relação ao presunto conseguimos encontrar opções no mercado só com dois ingredientes: porco e sal. “É por esta razão que o considero um alimento mais natural e mais saudável que o fiambre. É também rico em proteína e praticamente isento de açúcar”, explica a especialista em nutrição. No entanto, sublinha que o consumo de presunto deve ser moderado uma vez que possui um elevado teor de gordura saturada e de sal.

O segredo de sempre: o rótulo

“Mais importante do que o valor calórico é o alimento no seu todo e a constituição nutricional”, explica. Não se deixe enganar pelos rótulos. “Por exemplo, as compotas light, muitas vezes têm apenas um pouco menos de sal ou o açúcar foi substituído por adoçante”. Quando tiver de escolher entre dois produtos, lembre-se de olhar para os valores de referência por 100 gramas. Embalagens de marcas diferentes podem ter quantidades diferentes, o que pode levar a erros na comparação.

Por isso, quando for escolher o fiambre de aves pense duas vezes e olhe para a lista de ingredientes. “Quanto mais curta for, mais saudável será. Assim, entre o fiambre e o presunto a minha escolha vai para o segundo”, assegura a nutricionista.

Na hora de passar pelo balcão da charcutaria e escolher a sua opção pode ainda seguir mais algumas dicas que o vão ajudar a tornar o consumo de presunto (ligeiramente) mais amigo da dieta: no caso das versões já fatiadas, opte pelas fatias mais finas e retire sempre a gordura visível.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA