fit

Sabe qual é a melhor hora do dia para treinar?

É uma dúvida antiga. Agora, há um novo estudo que o pode ajudar a escolher o melhor momento para fazer exercício.
O melhor é ao fim do dia.

Será que é melhor treinar logo pela manhã? Ou será que o mais eficaz é guardar tempo à hora de almoço ou ao fim do dia? A bem da eficácia, é pergunta que já muitos de nós terão feito. 

Se nunca consegue decidir a que hora do dia prefere ir ao ginásio, vale a pena ver o que diz um novo estudo, a cargo do Instituto Mary MacKillop, publicado originalmente na revista “Diabetologia”. Segundo uma equipa de cientistas da instituição australiana, focado na melhoria da saúde metabólica, a melhor hora para treinar será ao final do dia.

Não é a primeira vez que estudos surgem que apontam como o final do dia como a hora mais indicada para treinar. Embora tenha uma amostra pequena (apenas 24 participantes), este estudo contou com uma abordagem específica: só foram analisados homens, já com algum excesso de peso e hábitos de vida mais sedentários.

Na prática, isto quer dizer que quem já tem uns quilinhos a mais e quer compensar a falta de treino com eficácia, pode prestar maior atenção ao relógio. Se for preciso, ponha um despertador para as 18h30. Passamos a explicar.

Foram recrutados e testados 24 participantes. O grupo de investigadores queria ter noção de como estavam os níveis de colesterol, de açúcar no sangue, a aptidão aeróbica e outros aspetos da saúde dos participantes.

Os 24 homens que participaram foram ainda alvo de um questionário focado nos seus hábitos alimentares e contaram com refeições pré-preparadas. E atenção: eram refeições com mais calorias e gorduras do que o habitual, como forma de testar o impacto que treinar a diferentes horas poderia ter.

O estudo de que a imprensa australiana dá conta realça que as refeições, entregues em casa dos participantes, continham cerca de 65 por cento de gordura. Este alto teor de gordura das refeições era precisamente um dos focos principais dos investigadores, que queriam examinar ao detalhe o momento do exercício e seus efeitos no metabolismo da gordura, bem como no controle do açúcar no sangue.

Os 24 participantes foram divididos em três grupos: um exercitava-se às 6h30, outro às 18h30 e um terceiro grupo de controlo permaneceu com um programa sedentário. Foram observados todos durante cinco dias consecutivos.

Dado o tipo de refeições, o nível de colesterol (especialmente o menos saudável) de todos os participantes aumentou. Mas houve diferenças claras. O grupo sedentário apresentou os piores resultados, como esperado.

O curioso foi ver as diferenças entre o grupo que treinava de manhã e o grupo que treinava ao fim do dia, e que contou com um plano de exercícios igual. Quem treinava de manhã, segundo as análises feitas, conseguiu fazer muito pouco para diminuir os efeitos daquela alimentação especialmente gordurosa.

No entanto, aqueles que se exercitaram já ao fim do dia apresentaram resultados em que o colesterol era mais baixo, notaram ainda melhorias ao nível cardiorrespiratório e eram também, entre os três grupos diferentes, quem apresentava valores mais controlados de o açúcar no sangue.

Os autores do estudo acreditam que o ritmo circadiano (do nosso sono) poderá ser uma das razões para uma eficácia diferente entre as diferentes horas do dia. Mas deixaram um alerta, apesar das horas, é mais do que claro que treinar, seja a que hora for, é sempre melhor do que não treinar de todo.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA