fit

Protetores de marcas do supermercado são tão bons (e mais baratos) do que os de marca

A DECO Proteste testou 41 produtos e concluiu que não há distinção entres marcas caras e mais em conta.
Pode poupar até 16€.

Nem sempre os produtos mais caros são aqueles que obrigatoriamente têm mais qualidade. A prova mais recente é o resultado do teste que a Deco Protest fez e que concluiu que não há distinção na qualidade entres os protetores solares de marcas caras e das mais baratas do supermercado.

Foram experimentadas 41 loções e sprays com fator de proteção solar 30, 50 e 50+, sendo que todas tinham proteção contra os raios UV. Além dos testes feitos em laboratórios, cada produto foi avaliado por 30 consumidores que não sabiam qual era a marca do produto que estavam a utilizar — e que deram a sua opinião sobre características como o cheiro, absorção e textura, por exemplo.

A associação de proteção ao consumidor garante que “pode comprar os protetores solares no supermercado, mesmo para as crianças”. “Custam um terço do valor das marcas de farmácia e perfumarias e são de boa e, por vezes, até de melhor qualidade.”

É possível chegar a poupar 13€ a 16€, uma vez que, por exemplo, no caso dos protetores com FPS 30 que têm 200 mililitros, o mais barato custa cinco euros e o mais caro 30€. “Há marcas seis a oito vezes mais caras e que não são forçosamente melhores”.

“O impacto ambiental continua a ser um aspeto a melhorar por todos os fabricantes. Os melhores neste critério não passaram da mediania. Entre os principais problemas está o desperdício. Na maioria dos casos, não se consegue aproveitar o produto até ao fim. Com o Corine de Farme Spray Protetor Hidratação+ SPF30, o pior neste critério, quase um terço do produto fica retido no fundo da embalagem, o equivalente a um desperdício de 4 euros”, pode ler-se na publicação feita na passada terça-feira, 14 de maio.

A DECO ressalva ainda que é necessário utilizar o equivalente a sete colheres de chá no corpo e a uma colher cheia só para o rosto. Além disso, deve reaplicar-se a proteção sempre depois dos mergulhos e pelo menos de duas em duas horas.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA