fit

Há testes rápidos nas farmácias que dão acesso ao certificado digital

Os auto-testes não são opção para quem quer o certificado mas os testes de antigénio podem ser.
Testes antigénio são opção.

Entre as novidades que a pandemia trouxe à nossa vida, a mais recente é o certificado digital, o documento que irá facilitar a livre circulação e ainda o acesso a determinados eventos.

Há três formas de obter um certificado digital: através da comprovação de que a pessoa foi vacinada contra a Covid-19, de um documento a comprovar que a pessoa esteve infetada e já recuperou da Covid-19 (com validade de 180 dias) e o teste negativo ao Sars-CoV-2.

Nesta última opção, a pessoa pode apresentar um dos testes PCR com validade de 72 horas, mas é possível consegui-lo ter um com validade por um período de 48 horas. E num teste feito na farmácia.

A informação foi confirmada pelo ministério da Saúde ao jornal “Eco”, mas com a nota de que não é qualquer teste. Os auto-testes que a pessoa pode adquirir nas farmácias e parafarmácias para confirmar a presença do vírus, por exemplo, não resultam, Já os testes antigénio podem ser opção, desde que estes impliquem a emissão de relatório e respetiva comunicação ao SINAVE Lab [Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica].

Por razões tecnológicas, tal opção não é viável no imediato mas será já esta semana: a emissão de certificados digitais a partir de testes rápidos de antigénio deverá ter início já na próxima quinta-feira, dia 1 de julho.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA