fit

Enfermeira portuguesa em coma vence Covid-19 com Viagra

Antes de ser internada, assinou um documento que autorizava ser cobaia para teste de medicamentos alternativos contra a doença.
Enfermeira tem nacionalidade portuguesa.

Uma enfermeira portuguesa que trabalha no Serviço Nacional de Saúde britânico testou positivo para a Covid-19, mesmo depois de ter as duas doses da vacina. A mulher, que sofre de asma e que trabalha como enfermeira em unidades de doenças respiratórias em Lincolnshire, passou 28 dias em coma após a infeção.

Quatro dias depois de ter testado positivo, perdeu o olfato e  o paladar. Mais tarde, começou a tossir sangue e sentiu os seus níveis de oxigénio a baixar. Acabou por ser internada em estado crítico e, a 9 de novembro, colocada numa Unidade de Cuidados Intensivos.

A mulher, casada e mãe de dois filhos (todos ficaram infetados), esteve 28 dias em coma, período durante o qual os seus pais foram aconselhados a viajar até ao Reino Unido para se despedirem da filha. Contudo, um medicamento inesperado acabaria por ser a reviravolta no seu estado de saúde, referiu ao site “Lincolnite”.

Antes de ser internada, a enfermeira assinou um documento em que autorizava ser cobaia para o teste de medicamentos alternativos contra a Covid-19. Uma semana depois de estar em coma, os médicos administraram-lhe Viagra. O medicamento, segundo se reporta, abriu-lhe as vias respiratórias. Os pulmões começaram a abrir e passou a precisar de menos de 50 por cento de quantidade de oxigénio.

Após quase um mês em coma, a enfermeira apresenta algumas dificuldades de mobilização, precisando de ajuda para tomar banho e vestir-se. A sua recuperação poderá levar meses. 

Apesar do pesadelo que enfrentou, a portuguesa afirma que os médicos lhe disseram que se não estivesse vacinada não teria sobrevivido.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA