fit

As festas da Trópico de Dança estão de volta. A primeira é este sábado e dura 10 horas

Acontece na AERLIS, em Oeiras. Há workshops de chá chá chá e salsa e à noite não vão faltar kizombas e bachatas na pista de dança.
O evento vai realizar-se mensalmente.

Antes da pandemia, a Associação Trópico de Dança realizava, mensalmente, uma grande festa para que os alunos pudessem pôr em prática os passos aprendidos, de vários ritmos, num ambiente descontraído e animado. Ao mesmo tempo, conheciam pessoas com a mesma paixão pela dança. A iniciativa “durou 20 anos”, conta à NiO Luísa Sousa, responsável pela escola, porque “quem aprende, gosta de ter onde praticar”.

Depois de um interregno maior do que esperava, as festas da Trópico de Dança estão de volta e a primeira acontece já este sábado, 17 de fevereiro. Se é fã de ritmos como kizomba, bachata, salsa ou chá chá chá, ou gostava de aprender a dançá-los, reserve a tarde e noite de sábado para fazê-lo. É que a festa vai durar 10 horas, entre as 17 horas e as três da manhã. Durante a tarde serão realizados os workshops, assim como diversas animações em formato de concurso.

A partir das 23h45 começa a festa, cuja banda sonora terá apenas músicas para dançar salsa, kizomba e bachata. Assim, poderá pôr em prática o que aprender nas aulas ou nos workshops. Caso já seja especialista destes ritmos, a missão é apenas uma: gastar toda a energia na pista de dança até de madrugada. 

“Este é um evento onde os alunos praticam os passos de dança que aprendem nas aulas e onde se socializa com os colegas ou alunos de outras escolas. A festa é aberta também a quem queira levar amigos que não sabem dançar, mas querem participar. Até porque, mesmo quem é nosso aluno, pode não conhecer todos os ritmos. Por isso, vamos realizar dois workshops de iniciação, de hora e meia cada um, para poderem aprender o básico”, conta a responsável.

A festa vai decorrer no Edifício AERLIS, situado no número 4A da Rua Coro de Santo Amaro de Oeiras (em frente ao Oeiras Parque e ao lado do Parque dos Poetas). A abertura de portas faz-se às 16h30. Conheça os horários da restante programação, que vai contar com a presença de vários professores da escola.

17 horas — Workshop de iniciação ao chá chá chá, com os professores Tatiana Santos e Fábio Trindade.

18h30 — Animação em formato de concurso para iniciados e todos os que não são profissionais da dança.

18h45 às 21h30 — Música para dançar as dez danças de salão (cinco latinas e cinco clássicas), com DJ’s Çalito e Tropicaliente.

21h30 — Workshop de iniciação à salsa, com os professores Carlos Filipe e Ekaterina Varzari. 

23 horas — Animação em formato de concurso para iniciados e todos os que não são profissionais da dança.

23h45 às 3 horas — Música para dançar salsa, kizomba e bachata,  com DJ John Richard.

“Os participantes entram e saem quando quiserem, pois nem todos aguentam 10 horas a dançar. Podem intercalar. Levam um carimbo no antebraço, que só se vê com a nossa lanterna, e assim têm liberdade para sair e voltar as vezes que quiserem”, explica Luísa Sousa. 

A festa tem o valor de 7€ (4€ para sócios da Trópico de Dança). Haverá também a possibilidade de jantar no local. Haverá um buffet, que inclui prato (bacalhau espiritual ou bifinhos com cogumelos), bebida, sobremesa e café, pelo valor de 15€. 

Para mais informações, pode contactar o número 965 150 867 ou o email tropicodedanca@nullgmail.com. O plano é que as festas se continuem a realizar, sempre no terceiro sábado de cada mês. A próxima será no dia 16 de março.

A sede da Trópico de Dança está situada no número 59A, na Avenida Fundadores, em Paço de Arcos. Para conhecer melhor a escola pode consultar o site, onde encontra informação sobre os dias e horários das aulas deste ano e seguir as páginas de Facebook e Instagram para estar a par das novidades.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA