cultura

“Vamos falar de sexo?” é o convite de Marta Crawford para a tarde deste sábado

A roda de conversa informal é aberta a todos, de forma a partilhar ideias e tirar dúvidas. A entrada é livre.
A sexóloga Marta Crawford. Foto: Jenniffer Lima Pais

Falar de sexo ainda continua a ser um tabu, mas há quem se esforce para mudar essa realidade. A psicóloga e sexóloga Marta Crawford é exemplo disso e os eventos associados à exposição “Amor Veneris — Viagem ao Prazer Sexual Feminino” também. Este sábado, 25 de fevereiro, abre-se espaço para falar sobre o tema, num ambiente livre de estigmas ou julgamentos. 

No Palácio Anjos, em Algés (onde está patente a mostra), vai decorrer a partir das 15 horas, mais uma roda de conversas informais sobre sexualidade, orientada por Marta Crawford, que é também fundadora do Musex — Museu Pedagógico do sexo e curadora da exposição.

O objetivo é que seja um ambiente seguro, para que os participantes possam conversar de forma livre e descontraída sobre o tema, sobre as suas dúvidas, questões ou ansiedades relativas à sexualidade e a relacionamentos. Os temas abordados na conversa são sugeridos no início de cada sessão por Marta Crawford e pelos participantes sendo desenvolvidos em grupo.

“Como as pessoas são convidadas a partilhar as suas próprias experiências, todos esses momentos de interação têm sido muito enriquecedores. Nas conversas sobre sexualidade, a ideia é ficarmos todos em roda, como se fosse à volta de uma fogueira, e as pessoas vão entrando e podem deixar num saco as perguntas que tiverem, porque muitas ficam inibidas de falar em voz alta. Depois vou tirando os papéis, vou lendo e vamos falando, as pessoas vão intervindo”, conta Marta.

“Tem sido uma das atividades em que estou totalmente envolvida e que percebo que as pessoas ficam satisfeitas por terem um espaço para falar sobre sexualidade sem ser num consultório, sem ter que pagar, porque é gratuito. E também gostam de ouvir as experiências dos outros”, conclui a sexóloga. 

Esta atividade, baseada na partilha em grupo, é uma forma de abrir espaço para que se quebrem preconceitos, tabus, desconhecimento, e para desmistificar algumas ideias feitas. Poderá ajudar até nas questões da comunicação com o parceiro, um dos grandes problemas dos casais portugueses, na opinião da sexóloga. “As questões da comunicação íntima estão cada vez mais desastrosas. As pessoas têm dificuldade em partilhar e ouvirem-se. A escuta é muito importante. Por isso é que é tão interessante quando entram no terapeuta, porque este torna-se um tradutor automático do que o A diz ao B. Não há comunicação íntima porque as pessoas não a treinam. Partem do princípio que o outro adivinha o que ele quer”, refere. 

À New in Oeiras, Marta Crawford afirmou que atualmente há ainda “um grande desconhecimento” na área da sexualidade. “O tabu tem a ver com a desinformação e com os equívocos. Aprendemos coisas no espaço da nossa família, da escola, da comunidade, que influenciam a nossa perceção do mundo, mesmo coisas tão simples como, por exemplo, o que é a pílula do dia seguinte. Se em casa se considerar que é tabu, porque é algo abortivo, então eu também vou ter ideias erradas sobre isso, e até sobre o meu corpo”, refere. 

Para a sexóloga, faz falta uma maior e melhor educação sexual a partir da infância. “Ainda falta educação sexual nas escolas, na família, na sociedade. As pessoas querem fazer parte da dita normalidade e deixam-se levar por opiniões que às vezes não são as corretas. Na escola não se fala do prazer, de intimidade, das fronteiras, da comunicação íntima. Não se pode começar a falar de sexualidade com os miúdos quando são adolescentes, tem que ser mais cedo”, sublinha Marta. 

Se gostava de participar, é só ir até ao Palácio Anjos, este sábado, 25 de fevereiro, às 15 horas. A entrada é livre, mas sujeita à lotação de 40 pessoas na sala. Nesse mesmo dia, ao meio-dia, Marta Crawford, enquanto curadora da exposição, dirige uma visita guiada à mesma. A lotação máxima é de 20 pessoas e implica a compra de bilhete para a exposição e o levantamento de uma senha, a partir de uma hora antes, na bilheteira do Palácio Anjos.

Pode visitar a exposição “Amor Veneris — Viagem ao Prazer Sexual Feminino” até dia 8 de março. Os horários são: terças, quartas, quintas e domingos das 11 às 19 horas e sextas, sábados e feriados das 11 às 20 horas. O bilhete para a exposição tem o valor de 5€ e pode ser adquirido no Palácio Anjos ou na Ticketline

Carregue na galeria para conhecer alguns dos espaços da exposição.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA