cultura

Uma das melhores pérolas do catálogo da HBO: por favor, veja este documentário

Chama-se “The Jinx” e conta a história de um milionário suspeito de assassinar várias pessoas.
Robert Durst é o homem no centro da história.

Alimentado pelas plataformas de streaming como a Netflix ou a HBO, pelos podcasts internacionais ou pelos canais temáticos próprios (como o ID — Investigation Discovery ou o Crime + Investigation, em Portugal), o género televisivo das séries documentais de crime tem-se tornado cada vez mais popular nos últimos anos.

“Making a Murderer”, “Wild Wild Country”, “Tell Me Who I Am”, “The Staircase”, “The Innocent Man”, “Night Stalker”, “The Keepers”, “I Love You, Now Die”, “Jeffrey Epstein: Podre de Rico”, “Mommy Dead and Dearest”, “Tiger King” ou “O Desaparecimento de Madeleine McCann” são apenas alguns das dezenas de títulos que chegaram às plataformas nos últimos anos.

Se é um fã deste tipo de produções e está à procura de uma nova sugestão para ver em casa, temos uma ótima dica: “The Jinx”. Estreou em 2015 na HBO, pelo que nunca teve grande destaque em Portugal, já que a plataforma só foi lançada por cá quatro anos depois.

O grande protagonista desta série documental de seis episódios é Robert Durst. Filho mais velho de uma das famílias mais ricas de Nova Iorque — que é dona de vários arranha-céus em Manhattan e que trabalha no ramo imobiliário — Durst vive há muitos anos sob as suspeitas das autoridades americanas.

Porquê? Porque é suspeito de ter assassinado a mulher, a melhor amiga e um vizinho, em três estados diferentes do país. “The Jinx” relata esta história bizarra e surreal, que parece que foi inventada para a ficção, e tem entrevistas com testemunhas e pessoas que o conheceram em diferentes fases da vida.

O próprio Durst, aliás, é um dos entrevistados — e no final acaba por fazer uma espécie de confissão. Junto com algumas das provas recolhidas pela produção, levou a que a polícia o detivesse novamente. Aos 77 anos, está neste momento em julgamento por um dos três alegados homicídios.

Sem divulgarmos grandes spoilers — porque a magia desta série documental está realmente em todos os pormenores que vamos descobrindo sobre os casos em que esta figura excêntrica esteve envolvida —, vamos recapitular os principais acontecimentos desta história.

A sua mulher, Kathleen Durst, desapareceu de forma misteriosa em 1982, depois de passar o fim de semana na casa de campo do casal, nos arredores de Nova Iorque. A família de Kathleen e várias testemunhas não têm dúvidas de que Robert a tenha matado após algum ataque de raiva.

O casal não estava a atravessar uma boa fase e há vários depoimentos que indiciam pistas suspeitas sobre Durst. Contudo, as autoridades nunca conseguiram provar nada nem encontrar Kathleen — e, apesar de Robert não se dar bem com a família milionária, nunca lhe faltou dinheiro para pagar a advogados de topo ou para cobrir despesas legais. A família sempre o protegeu pelas costas, alega o documentário.

Em 2000, aconteceu o caso de Susan Berman, uma amiga tão próxima de Robert Durst que ele próprio a levou ao altar no dia do seu casamento. Durante o desaparecimento de Kathleen, Susan Berman agiu como porta-voz de Robert e as autoridades suspeitam que ela sabia o que se tinha passado.

A polícia conseguiu localizar Durst na Califórnia naquele dia, mas não conseguia provar que ele tinha estado em Los Angeles, onde Susan Berman foi executada, com um tiro na cabeça, em sua casa. Uma das provas apresentadas pela série documental, e que foram fulcrais para a posterior detenção de Robert Durst, foi uma nota anónima enviada para a polícia para que descobrissem o cadáver de Berman.

Com a ajuda de um especialista em caligrafia, e de uma carta que tinham descoberto, os produtores de “The Jinx” praticamente conseguiram provar que Robert Durst tinha escrito aquele texto enviado à polícia. 

E há ainda o caso de Morris Black, vizinho de Robert Durst no Texas — para onde o milionário nova-iorquino tinha fugido, disfarçado de mulher muda, para escapar às autoridades que estavam a investigar novas pistas no caso da sua mulher desaparecida, no início dos anos 2000 (e logo a seguir do homicídio de Susan Berman).

Morris Black foi encontrado morto e esquartejado. Depois de uma caça ao homem, Robert Durst foi apanhado, após roubar uma sandes num supermercado. Em tribunal, Durst conseguiu convencer o júri de que tinha sido atacado por Morris, que os dois tinham lutado para ver quem ficava com a arma e que o revólver tinha disparado acidentalmente. Assustado e sem saber o que fazer, Durst livrou-se do corpo e escondeu-o. Apesar de admitir esta última parte, foi absolvido da acusação de homicídio — e continuou em liberdade durante vários anos.

Esta série documental conta todos os detalhes curiosos e surreais sobre estes crimes, mostra como Durst esteve na prisão por outros delitos, como usou nomes falsos e maneiras engenhosas de escapar às autoridades, como cortou os laços com a família e processou o irmão para ficar com uma fatia da fortuna. É uma história inacreditável que merece ser vista (e revista). Os produtores de “The Jinx” passaram quase dez anos a investigar este caso.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA