cultura

Teatro Quarto Crescente leva a cultura de Moçambique a Algés

O grupo oeirense apresenta “Corações e Caligrafias”, uma peça que traz textos de Mia Couto e não só.
Ana Picoito e Maria Mouga Muge são as atrizes que sobem ao palco.

Passámos tanto tempo sem poder ir a eventos cultuais, que agora gostávamos de marcar presença em todas as peças que estão a estrear, para tentar aproveitar o tempo perdido. Uma das nossas sugestões é “Corações e Caligrafias”, o espetáculo que vai estar em cena nos próximos dias 20 e 21 de maio, sexta-feira e sábado, no Teatro Municipal Amélia Rey Colaço, em Algés.

Esta é uma apresentação do Teatro Quarto Crescente, que volta a trazer um pouco da cultura de Moçambique até nós. É também uma forma de Ana Picoito, atriz e encenadora, homenagear o país que descobriu através da literatura e pelo qual se apaixonou.

Aliás, o início do Teatro Quarto Crescente cruza-se também com o começo da história de amor entre Ana Picoito e a escrita de Mia Couto. Mais do que uma mera inspiração, os contos e romances do escritor moçambicano são quase uma religião para a atriz, muitos deles já representados por ela nos 22 anos de vida da companhia de teatro. 

“O Quarto Crescente nasceu de um projeto numa escola secundária do concelho de Oeiras. Começámos por encenar Mia Couto. Era uma oficina de teatro com mais de 20 jovens. Fizemos ‘O embondeiro que sonhava pássaros’ e a partir daí os miúdos não quiseram parar com a representação e criámos mesmo um grupo de teatro”, conta a artista à NiO.

O conto “Dois corações, uma caligrafia”, de Mia Couto, inspirou uma peça que começou a ser representada há quase duas décadas. “Estreei esta peça em 2003. É um conto absolutamente genial, um texto para o qual não há palavras. É só ler, ver e sentir”. A obra traz-nos a história de duas irmãs, Zuleila e Esmeralda, traídas pelo mesmo homem, que lhe escrevem uma carta em conjunto. 

Desta vez, o espetáculo traz uma nova roupagem, com a representação do mesmo conto, mas também de outros textos. Ana Picoito e a atriz Maria Mouga Muge dão vida às duas personagens, num espetáculo onde o ambiente, as cores e a música nos levam para longe. 

Na segunda parte, acontecerá um momento de poesia acompanhado de um aperitivo típico da gastronomia moçambicana. Sobem ao palco Ana Picoito e Maria Mouga Muge, com a participação do ator João Maria Pinto, para uma sessão de leitura de poemas de poetas moçambicanos e não só. O público será também convidado a participar.

As sessões começam às 21 horas em ambos os dias. O bilhete custa 15€ e inclui a entrada na peça, a sessão de poesia, o petisco moçambicano e uma bebida. Pode reservar o seu lugar através do número de telemóvel 919 714 919 ou do email cda.reservas@nullgmail.com.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA