cultura

“Rua do Medo”: já estreou a (arrepiante) trilogia de filmes de terror da Netflix

Cada história vai passar-se numa época diferente, mas todas estarão interligadas. Duas das estrelas de “Stranger Things” participam.
O primeiro capítulo tem 1h45 de duração.

Conhecido como o Stephen King da literatura juvenil, Robert Lawrence Stine — que assina os seus livros simplesmente como R. L. Stine — é o criador das sagas de “Arrepios”, “Rotten School”, “Mostly Ghostly” ou “Nightmare Hour”.

Mas é outra das suas histórias, “Rua do Medo”, que vai chegar agora à Netflix. A plataforma de streaming vai estrear uma trilogia de filmes de terror baseada nestes livros. O primeiro já está disponível: estreou esta sexta-feira, 2 de julho, e chama-se “Rua do Medo: 1994”.

O segundo capítulo, “Rua do Medo: 1978”, chega à Netflix a 9 de julho; e o derradeiro filme, “Rua do Medo: 1666”, estreia no catálogo no dia 16. Todos foram realizados por Leigh Janiak. Apesar de os livros serem juvenis, os filmes foram feitos a pensar num público mais maduro.

A história começa, então, em 1994, apesar de se passar sempre na cidade de Shadyside. Um grupo de adolescentes descobre que os acontecimentos aterrorizadores que têm assombrado a sua cidade durante várias gerações podem todos estar interligados. E, acidentalmente, deparam-se com este mal que é tão antigo quanto fatal.

“Enquanto cineasta e amante de filmes, estava muito entusiasmado por prestar homenagem a algumas das grandes eras dos filmes de terror”, disse o realizador, Leigh Janiak, na apresentação do projeto.

“Para 1994, ‘Gritos’ superou tudo o resto — é o auge do terror dos anos 90 e acho que um dos melhores filmes que alguma vez foram feitos. Quanto a 1978, olhei para o pico dos slashers — ‘Sexta-Feira 13’, ‘Halloween’, ‘Pesadelo em Elm Street’. Para 1666… encontrei a minha melhor inspiração no mundo lindo tornado podre do ‘O Novo Mundo’ de Terrence Malick.”

Já o autor R. L. Stine abordou, na sua perspetiva, qual é o fator que pode unir um público tão diverso (e internacional) como aquele que vai poder ver a trilogia de “Rua do Medo”.

“Todos temos os mesmos medos. Não interessa em que país é que estás, toda a gente tem medo do escuro, ou tem medo que alguém esteja a espreitar no armário, ou tem medo de estar num estranho e novo sítio onde nunca foi.”

No segundo filme, que se passa em 1978, a narrativa decorre no verão, depois de as aulas terminarem. As atividades no Campo Nightwing estão prestes a começar para os adolescentes, mas quando um novo cidadão local é possuído com a urgência de matar, a diversão torna-se numa luta feia pela sobrevivência.

Já no último filme são explicadas as razões para a origem da maldição, com um desfecho que promete acabar com todas as pontas soltas, numa noite que vai mudar os habitantes de Shadyside para sempre.

O elenco inclui nomes como Charlene Amoia, David W. Thompson, Darrell Britt-Gibson, Ashley Zukerman, Kiana Madeira, Olivia Scott Welch, Gillian Jacobs ou duas das estrelas de “Stranger Things”, Maya Hawke e Sadie Sink, entre outros. Vários atores podem aparecer ao longo das três histórias.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA