cultura

Património histórico volta a casa 100 anos depois

Um lote de madeiras do século XVIII de pipas da Adega do Marquês de Pombal foi recuperado pelo município.
A madeira foi encontrada pelo luthier Adriano Sérgio.

O município de Oeiras recuperou um lote de madeiras do século XVIII usado nas pipas da adega do Palácio do Marquês de Pombal. Foram vendidas há cerca de 100 anos, reencontradas por Adriano Sérgio, conhecido por reconstruir e reparar guitarras e violas, e agora regressam a casa.

A madeira foi comprada com o intuito de ser usada para a criação de guitarras elétricas. Quando Adriano foi informado que a madeira pertencia às pipas de Oeiras, o projeto passou a ter vários objetivos. A Câmara Municipal comprou madeira do mesmo lote e o projeto foi expandido. A proposta é unir o vinho à música.

A Adega do Palácio do Marquês de Pombal recebeu dois tonéis com aparência de novos. Segundo o coordenador técnico do vinho de Carcavelos, Alexandre Lisboa, em entrevista à Câmara Municipal, a madeira foi toda recuperada. “Tem as mesmas dimensões do tonel original e tem a mesma configuração. E, por isso, mais do que um restauro, é uma reconstrução o mais fiel possível do que era um tonel no século XVIII.”

Um dos tonéis vai ser usado para fazer uma edição especial do vinho de Carcavelos Villa Oeiras como reconhecimento da importância da recuperação deste património para o município. “Tem aqui um duplo carácter patrimonial: o da recuperação do património histórico e o da recuperação do património vínico. Neste projeto, estamos a juntar os dois com uma terceira componente que é a da música e das guitarras que também é património, também é arte, e por isso há aqui um projeto muito abrangente que é muito interessante”, explica Alexandre Lisboa.

As guitarras elétricas construídas com esta madeira e a edição especial do vinho de Carcavelos Villa Oeiras envelhecido no tonel serão apresentados em setembro deste ano.

tags: Adega do Palácio Marquês de Pombal, Câmara Municipal de Oeiras, história, luthier, município de oeiras, oeiras, Vinho de Carcavelos

outros artigos de cultura

mais histórias de Oeiras