cultura

Os graffitis dos parques de estacionamento ganham uma exposição própria no Taguspark

O espaço apresenta a sua coleção de arte urbana numa mostra original, convidando o público a visitar também as galerias subterrâneas.
Uma das obras. Imagem: Taguspark

O Taguspark tem vindo a provar que ciência e arte podem caminhar de mãos dadas. A Cidade do Conhecimento tem recebido diversas exposições, de diferentes artistas, que ocupam o Núcleo Central com obras relacionadas com pintura, escultura, fotografia, entre outras. Esta quinta-feira, 8 de fevereiro, é inaugurada mais uma, desta vez, para apresentar parte da coleção de arte do próprio Taguspark. 

A mostra “Essências do MAU” terá um formato atípico e singular para dar a conhecer uma secção especial do MAU — Museu de Arte Urbana do Taguspark. Associada à sua história, e através de fotografias, a exposição faz-se com fragmentos dos grafittis que estão na origem e desenvolvimento dessa mesma coleção. 

“O graffiti está na génese do MAU quando, em meados de 2020, o Taguspark recebeu uma manifestação de insatisfação de um dos seus clientes relativa à manutenção de um dos parques de estacionamento. Esta ação conduziu a uma revitalização artística no espaço, porém, foi produzida na garagem errada. A situação, felizmente, provocou a multiplicação de graffitis no Taguspark, determinando a origem do MAU e, consequentemente, o investimento assíduo da Cidade do Conhecimento em arte contemporânea”, revela o espaço.

Assim, fotografias de pedaços destas obras de arte urbana, produzidas nas garagens do parque empresarial, são agora reunidas e exibidas no átrio do Núcleo Central, como obras de arte, já que murais “revelam a individualidade dos seus criadores, assim como a visão vanguardista, arrojada e contemporânea do Taguspark”. As imagens reúnem obras de artistas como Paulo Arraiano, Gonçalo Mar, The Caver, entre outros, apresentando a arte underground do espaço.

A exposição assume a missão de prestigiar estas obras, para que sejam conhecidas não só por quem trabalha neste parque empresarial, mas também todos aqueles que o visitam, seja em trabalho ou em lazer.

“A opção em expor fragmentos dos murais, assume-se como um convite ao público para visitar as várias galerias subterrâneas que servem de tela às intervenções artísticas, que convivem em proximidade com a base científica e tecnológica do Taguspark”, aponta o centro nacional de inovação, onde estão sediadas cerca de 160 empresas e 26 startups, na sua maioria dedicadas ao desenvolvimento de ciência e tecnologia aplicadas.

A inauguração acontece no dia 8 de fevereiro, às 14 horas, no Núcleo Central do Taguspark. Poderá visitar “Essências do MAU” até dia 9 de março. O acesso é livre. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA