cultura

Oeiras assinala o centenário de Natália Correia com um evento especial

Está marcado para dia 13 de setembro, quarta-feira, data em que a escritora portuguesa celebraria os 100 anos.
Natália faleceu em 1993.

Nome incontornável da cultura do século XX em Portugal, Natália Correia foi escritora, poetisa e deputada, entre tantas outras atividades. Uma figura ímpar da literatura nacional e uma das importantes vozes dos movimentos de resistência antifascistas, muito elogiada pela coragem cívica e pela irreverência a defender os valores em que acreditava.

Anfitriã de tertúlias literárias, artísticas e políticas, no seu bar Botequim, em Lisboa, chegou a ser condenada a três anos de prisão, com pena suspensa, em 1966, pela publicação da Antologia da Poesia Portuguesa Erótica e Satírica, considerada uma ofensa aos costumes. Morreu de forma inesperada, devido a um ataque cardíaco, a seis meses de completar 70 anos. Neste mês de setembro celebra-se o centenário do seu nascimento (13 de setembro de 1923), depois de, em março deste ano, se ter assinalado o 30.º aniversário da sua morte (16 de março de 1993).

Natália faria 100 anos na próxima quarta-feira, 13 de setembro, caso fosse viva —, e viva continua nas mãos de tantos leitores e na memória de amigos e admiradores. Por todo o País multiplicam-se eventos a assinalar a data e em Oeiras não poderia ser diferente. Assim, no dia 13, o Município de Oeiras, através da rede de bibliotecas municipais e a Associação Luchapa, dedicada a eventos artísticos e culturais, irão “homenagear a escritora, mulher corajosa, desafiadora, vertical e singular”, como definem.

A iniciativa “A Feiticeira Cotovia” está marcada para as 21 horas, na Livraria-Galeria Municipal Verney, situada no centro histórico de Oeiras. O objetivo é falar-se do pensamento e das causas maiores desta personalidade marcante, “que traçou novos caminhos no panorama cultural nacional: a sua luta sem tréguas pela liberdade, pela dignidade do Homem e pela paz, bem como contra a ditadura, o obscurantismo, a pequenez e a mediocridade”, refere a organização. 

Com coordenação de Margarida Almeida e participação de José Zaluar, Miguel Partidário, Ricardo Belo de Morais, Fernando Rodrigues, Francisca Patrício, Luísa Lisboa, entre outros. A entrada é totalmente gratuita, mas sujeita à capacidade da sala, por isso se quiser garantir o seu lugar, o ideal é chegar cedo. 

Aproveite para ler a entrevista a Filipa Martins, autora da biografia “O Dever de Deslumbrar”, sobre a vida e obra de Natália Correia, lançada em março deste ano e que se tem revelado um sucesso junto do público. Com 696 páginas, é o resultado de seis anos de trabalho da escritora e argumentista, que mergulhou profundamente na obra da autora.

O cartaz.
Este artigo foi escrito em parceria com a Câmara Municipal de Oeiras.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA