cultura

O estranho caso da escultura que não existe e foi vendida por 15 mil euros

A obra de Salvatore Garau só está na sua cabeça, mas acabou por ter uma base de licitação de 6 mil euros e foi comprada.
Neste quadrado com fita branca diz ter outra obra.

“Io sono”, “Eu Sou” em português, uma obra do artista artista italiano Salvatore Garau, foi vendida num leilão por 15 mil euros. Até aqui a coisa poderia parecer normal, mas a verdade é que esta escultura não existe, apenas é uma realidade na cabeça e na imaginação do seu criador, e mesmo assim, depois de receber uma base de licitação, acabou por ser comprada.

“O vazio nada mais é do que um espaço cheio de energia, e mesmo que o esvaziemos e não reste nada, segundo o princípio da incerteza de Heisenberg, ele não tem peso. Portanto, tem uma energia que se condensa e se transforma. Em partículas, isto é, em nós”, respondeu o Salvatore Garau às críticas que afirmam que a obra não existe, aqui citado pelo “CatalunyaPress”.

O artista acredita que iniciou uma revolução na arte, depois de ter apresentado o “Buda em Contemplação”, em Milão, Itália, com um quadrado desenhado com fita branca no chão, e esta semana irá levar a Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, “Afrodite Piange”, que também é invisível.

“Io sono” entrou no catálogo da Art-Rite para ser leiloado e tinha uma base de licitação de seis mil euros. Acabou por ser vendido por mais do dobro desse valor. O comprador apenas ficou com um documento que faz prova que é dono dessa escultura invisível.

Nesse papel é referido que seja colocada num espaço livre com aproximadamente 150 por 150 centímetros. “O presente certificado não pode ser exposto no espaço reservado à obra”, lê-se também no documento.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA