cultura

Na nova plataforma de streaming pode ver filmes em português sem pagar

Chama-se Novocine, é gratuita e aposta em obras faladas na língua portuguesa. Promete ser uma nova experiência de cinema online.
É gratuita.

Netflix, HBO Max, Disney+, Amazon Prime Video e Filmin. Existem cada vez mais opções de streaming disponíveis em Portugal. Mas, quantas vezes quis ver um filme em português e não conseguiu porque não está disponível online, ou se está, exige uma inscrição e pagamento mensal? A partir deste mês de outubro já não terá esse tipo de problemas. Foi lançada na última quinta-feira, 29 de setembro, a Novocine, uma nova plataforma de streaming dedicada ao cinema falado em português.

Fundada pelos cineastas portugueses Afonso Mota e Madalena Fragoso — que se têm dedicado à produção e realização de filmes independentes —, a plataforma é gratuita, não pede registo e todos são livres de partilhar as obras que lá vão sendo disponibilizadas. O objetivo é divulgar filmes independentes que não tiveram muitas oportunidades de serem vistos pelo público.

Aqui não há restrição de género ou duração. Curtas ou longas-metragens, com imagem real ou animada, tanto faz. A lógica é ser um arquivo aberto para toda a gente. A cada vinte dias, a sala de cinema online vai disponibilizar um novo filme, que faz com que o anterior desapareça. Mas não permanentemente. No separador “Arquivo” ficará disponível o conteúdo extra a ele associado, além da sinopse e ficha técnica.

Sim, porque as novas produções são sempre acompanhadas por conteúdos adicionais, que tanto podem ser um texto sobre o filme ou uma conversa com os realizadores. Se quiser, até pode propor, por exemplo, um link para a banda sonora do filme ou extras relacionados.

“A plataforma surge para criar um acesso continuo a uma variedade de obras realizadas por cineastas e artistas visuais de língua portuguesa, celebrando novas vozes ao lado de redescobertas, reunindo-as num arquivo aberto em constante desenvolvimento”, explicam os criadores da Novocine.

Além disso, os autores de cada obra são pagos para mostrar o seu trabalho, graças ao apoio Ad Hoc do Instituto do Cinema e Audiovisual e também do Programa Garantir Cultura.

Até ao dia 17 de outubro, pode ver na plataforma a obra “A Casa e os Cães” (2019), realizada pela própria Madalena Fragoso, em conjunto com Margarida Meneses, e que contou com Afonso na equipa técnica. Trata-se de um filme que acompanha, ao longo de cinco anos, a vida de cinco amigos.

O nome do segundo filme ainda não foi revelado, apesar de já estarem planeadas as exibições dos seis próximos meses. Revelam, no entanto, em entrevista à revista “Time Out”, que o título vem do Brasil, passa-se noutra época, é uma longa-metragem e “altamente diferente”.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA