cultura

Já pode ouvir o novo álbum de Beyoncé (com Miley Cyrus e Post Malone)

O projeto foi lançado esta sexta-feira, 29 de março, e marca uma nova fase da artista, que agora se virou para o estilo country.
"Cowboy Carter" explora o estilo country.

Com 27 anos de carreira, a rainha da pop e R&B continua a surpreender. Beyoncé lançou na madrugada desta sexta-feira, 29 de março, o tão aguardado oitavo álbum, intitulado “Cowboy Carter”. O trabalho marca uma nova fase na carreira da artista, que mergulhou num estilo mais country.

Entre os 27 temas do disco, as maiores novidades são as participações de Miley Cyrus, em “II Most Wanted”, e de Post Malone, em “Levii’s Jeans”. O cover da canção “Jolene”, de Dolly Parton”, e o tema “The Linda Martell Shoe”, referência a uma das primeiras artistas negras de sucesso comercial no country, são outros dos destaques do novo álbum da Queen B. A cantora também regravou “Blackbird”, um dos clássicos dos The Beatles.

Beyoncé anunciou a sua nova era em fevereiro, quando surpreendeu os fãs ao lançar dois singles — “Texas Hold ‘Em” e “16 Carriages” — durante o Super Bowl. O disco “Cowboy Carter” é o tão esperado sucessor de “Renaissance”, de 2022, que a cantora revelou ser um projeto dividido em três partes. Enquanto o primeiro explorou bastante a música club e dance, este é mais virado para o country. Segundo os rumores que correm na indústria, o último álbum do trio deverá ser um tributo ao rock.

Quando divulgou a capa do álbum, Beyoncé explicou que o projeto surgiu após uma experiência negativa, onde “não se sentiu acolhida”. O momento em si trata-se de uma performance da cantora nos Country Music Awards, em 2016, quando estava a divulgar o disco “Lemonade” e apresentou a canção “Daddy’s Lessons”.

“Devido a essa experiência, mergulhei mais fundo na história da música country e estudei o nosso rico arquivo musical. É bom ver como a música pode unir tantas pessoas ao redor do mundo, ao mesmo tempo que amplifica as vozes de algumas das pessoas que dedicaram tanto das suas vidas a educar sobre a nossa história musical”, contou a artista.

 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA