cultura

Helena Coelho: “Quando me sentir nervosa lembro-me que foi a boss que me escolheu”

A influencer digital chega à televisão este sábado, 26 de setembro, com o programa "VivaVida". O outro apresentador é Ruben Rua.
Helena Coelho é influencer e especialista em maquilhagem.

Foi uma das novidades apresentadas na estreia de “Dia de Cristina” na TVI. Ruben Rua e Helena Coelho vão apresentar “VivaVida”, um novo programa dos sábados à tarde, que se vai estrear já no próximo dia 26 de setembro.

Vai ter a duração de uma hora e será gravado — a conversa em estúdio com os apresentadores e alguns convidados é intercalada com peças gravadas em diversos locais e sobre diferentes temas. “Todas as semanas teremos um, dois ou três convidados. Podem ser atores, músicos, apresentadores, podem ser meus amigos, pode ser qualquer coisa que queiramos ter ao nosso lado”, disse Ruben Rua aos jornalistas.

“E depois durante o próprio programa vamos lançar peças, que não têm nenhuma regra. Chamar ao ‘VivaVida’ um formato de lifestyle para mim é redutor. Nós queremos que seja mais do que isso. Essas peças serão feitas por uma equipa de repórteres e algumas poderão ser feitas por nós. Ou seja, não estamos só no estúdio, mas às vezes, ou semanalmente, poderemos ter uma peça feita por cada um de nós, ou até peças em que poderemos ir os dois.”

Ruben Rua diz que tanto poderão fazer peças em “eventos espetaculares” como mostrar “a casa fantástica de alguém”, dar a conhecer hotéis, restaurantes ou um novo programa da TVI, por exemplo. “Não estejam sempre à espera da mesma coisa, queremos que seja feito de uma forma diferente. Não é uma peça clássica, queremos que tenha um formato reality e um dinamismo diferente. Queremos que seja divertido, que seja para cima.”

A ideia também é ter esse dinamismo no estúdio. “Vai ser surpresa, não é estático, as coisas podem mudar de disposição.” O primeiro programa está a ser gravado esta quinta-feira, 24 de setembro. 

Ruben Rua, que tem estado sem programas na TVI “depois de um interregno”, mostra-se “muito feliz com a oportunidade” e pelo regresso. “A seu tempo poderemos fazer outras coisas dentro do canal, desde o irmos ao ‘Somos Portugal’ como ter um especial TVI ou outras coisas. Nada é estático, nem na vida nem na TVI. As coisas fluem e vou dar o meu melhor para merecer a confiança da direção e para chegar a outras coisas. 

O apresentador falou ainda sobre a dificuldade que é bater a concorrência aos sábados à tarde, quando é transmitido na SIC o programa de Daniel Oliveira, “Alta-Definição”. “Nós sabemos que existe uma tendência de audiência no sábado à tarde na SIC, com o ‘Alta-Definição’. Sabemos que é muito difícil de repente invertermos 400 mil espectadores. Mas o primeiro passo não é a audiência. Eu não estou preocupado em ganhar à SIC ou à pessoa A, B ou C. O meu objetivo é fazer bem feito. Quero que o ‘VivaVida’ seja um bom programa televisivo. Que vocês vejam em casa e digam: o que está aqui está bom, está bem feito, as peças são giras, os conteúdos são bons, eles estão bem e o cenário é giro. Nem sempre o ganhar é o resumo de uma história na sua totalidade. Quero fazer bem feito e quero estar bem. O ‘VivaVida’ até pode ganhar, mas pode ser mal feito. Primeiro, queremos fazer bem feito. Depois, quem decide é o público.”

Em relação à sua nova colega, que se estreia na televisão depois de um percurso enquanto influencer digital e também na área da maquilhagem (que a tornaram numa figura pública seguida por mais de 500 mil pessoas nas redes sociais), diz que tem a certeza de que “Helena Coelho vai ser uma surpresa, uma grande revelação, uma enorme apresentadora no futuro”.

“Embora seja uma área que não domino, acho que, tendo a capacidade de comunicar facilmente e tendo à vontade para as câmaras, é um desafio que agarrei e que se vai tornar confortável rapidamente”, disse Helena Coelho aos jornalistas, depois de sair do estúdio de “Dia de Cristina”.

“Foi uma oportunidade e um desafio em que não é preciso ser convencido, foi uma honra receber esse convite e se eu já comunico mas noutra forma, que é o digital, neste caso a plataforma muda mas a comunicação vai ser igual. Eu fui contratada para ser eu mesma. Eu já sou eu mesma nas redes sociais, portanto é só uma continuação. Só que vou ter uma equipa maior à minha frente”, acrescenta.

Helena Coelho diz que olha para esta transição como por vezes acontece quando “os modelos se tornam atores ou apresentadores”. “Acho que temos a carga do ‘é menos capaz, está ali porque é bonita ou neste caso porque tem muitos seguidores’, nunca é porque realmente viram valor naquilo que fazemos. Neste caso a Cristina foi buscar-me porque viu valor no que fazia, porque gostava da minha forma de comunicar e do meu à vontade, só ela saberá exatamente o porquê. E agora cabe-me a mim honrar esse convite. Tenho uma responsabilidade acrescentada no sentido de provar que valeu a pena essa escolha.”

Helena Coelho descreve-se como uma “pessoa extremamente descontraída” e por isso sem grandes pressões por chegar à televisão. “Sempre que me sentir nervosa tenho que me lembrar que foi a boss [Cristina Ferreira] que me escolheu. É a melhor carta de recomendação e atestado de capacidade que eu podia ter.”

A influencer diz ainda que fazer televisão “não era um sonho” porque nem sequer sabia que seria possível. “No digital fui self-made, fui fazendo o meu caminho sem perceber exatamente por onde me poderia levar, não passava pelos meus planos [fazer televisão] porque eu não sabia que era possível, mas obviamente é uma coisa que me deixa muito feliz.”

Saiba mais sobre a estreia de “Dia de Cristina” no artigo da NiT com declarações da apresentadora, que é a nova diretora de Entretenimento e Ficção da TVI e acionista da Media Capital, grupo que detém a estação de televisão.

tags: Cristina Ferreira, Dia de Cristina, Helena Coelho

outros artigos de cultura

mais histórias de Oeiras