cultura

Há uma nova exposição de pintura para ver no Taguspark

"Raízes" reúne obras da jovem artista Emma Santos. Está aberta ao público até 27 de agosto. A entrada é gratuita.
O universo feminino é uma inspiração para a artista.

Foi na passada quinta-feira, dia 7 de julho, que inaugurou no Taguspark uma exposição artística chamada “Raízes”. A mostra reúne cerca de duas dezenas de pinturas da artista portuguesa, Emma Santos. Apesar de muito jovem, Emma revela já um enorme talento, jogando com formas e cores até chegar a quadros únicos e impactantes.

A estudar na Camberwell College of Arts, em Londres, a artista explora a ideia de raízes, tanto no sentido literal, como no abstrato, a natureza e o papel da mulher na sociedade.

Sendo portuguesa, com raízes inglesas, e vivendo entre os dois países, Emma começou a questionar a sua própria origem cultural, e a observar a herança e os lugares a que chama de lar, numa nova luz. É esta procura e reflexão pela sua identidade que deu origem às obras que o público pode conhecer na exposição.

Nesta coleção, Emma quis, então, trabalhar elementos da sua identidade, como as suas raízes portuguesas, a sua conexão com a natureza, a sua infância e experiências de nascimento e morte, assim como a feminidade e a história das mulheres. Nas pinturas, as próprias árvores e raízes são metáforas ou símbolos para mulheres, segurança e unicidade.

“A partir da ideia de raízes, esta exposição aborda as origens e a personificação da natureza como uma mulher em muitas culturas. O mundo natural é muitas vezes visto como uma fonte abundante de recursos, dando-nos vida e conforto, e isso relaciona-se com a forma como as mulheres são tratadas na nossa sociedade, especialmente as mães, entidades férteis e abundantes sobre quem recai o ónus do trabalho reprodutivo e emocional no contexto da família”, explica Emma Santos. 

A artista revelou que gosta de pintar a ouvir fado, é desta forma que se concentra e inspira. E muita dessa inspiração vai buscar, também, a imagens de mulheres na história da arte e na literatura, que usa como referências para pintar as suas próprias experiências como mulher. Por exemplo, “Daphne and the Laurel Tree”, uma das pinturas expostas, é inspirada na antiga história grega de Daphne, que se transforma numa árvore para se esconder de Apolo. Já obras como “The Cockerel and the Fox”, “Portrait of my Room” e “Saudade” exploram sentimentos de saudade e dissonância cultural.

”Raízes” estará patente no Núcleo Central do Taguspark, que se situa na Av. Professor Dr. Anibal Cavaco Silva, em Oeiras, até 27 de agosto de 2022. A exposição está aberta ao público de segunda-feira a sábado, exceto feriados, entre as 9 e as 19 horas. A entrada é gratuita, por isso convide os seus amigos e família a passar por lá, para um programa cultural. Uma ótima alternativa se quiser fugir da praia nestes dias de muito calor.

Para mais informações pode contactar o número 214226900 ou o email taguspark@nulltaguspark.pt. Se quiser, pode seguir também as redes sociais do parque empresarial de ciência e tecnologia, como o Instagram e Facebook, ou visitar o site.

Com o apoio do município de Oeiras, esta mostra é, mais uma vez, um exemplo da forte aposta na presença de artes e cultura no Taguspark – Cidade do Conhecimento, que se insere no contexto do MAU – Museu de Arte Urbana, tendo por objetivo promover o pensamento crítico e um convite à reflexão sobre a sociedade atual.

Carregue na galeria para conhecer algumas das obras presentes na exposição “Raízes”.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA