cultura

Há um bailarino de Paço d’Arcos que está em destaque na revista Forbes

O artista português do The Royal Ballet em Londres está na lista 30 under 30 como um dos jovens mais brilhantes da Europa.
Marcelino Sambé tem apenas 23 anos.

Nomeado para a lista dos 30 under 30 Europe 2018 da revista americana Forbes, o bailarino Marcelino Sambé, natural de Paço d’Arcos, está a dar que falar. O jovem bailarino já fez história ao ser um dos primeiros portugueses a entrar para a lista de jovens inovadores, influentes e que causam um impacto positivo no mundo em diversas áreas de atuação.

Com apenas 23 anos, a sua trajetória é de muito trabalho e sucesso. Os seus primeiros passos na dança foram dados ainda em Oeiras: experimentou danças africanas no Centro Comunitário do Alto da Loba onde, incentivado por uma psicóloga da instituição, continuou a dançar e a desenvolver a carreira como bailarino.

Ainda miúdo estudou na Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa e aos 18 anos passou a fazer parte da The Royal Ballet Upper School, onde graduou-se na temporada 2012/13. Em 2014 foi promovido a primeiro artista, em 2015 a solista e em 2017 a primeiro solista. Já participou de várias produções da companhia, como “O Quebra-Nozes” e “Romeu e Julieta”. Além de bailarino é um talentoso coreógrafo. Foi selecionado como um dos coreógrafos revelação do Reino Unido pelo “Youth Dance England” em 2012.

Marcelino é um apaixonado pela dança. Em entrevista ao jornal Público disse que “a dança é sentimento, não é um desporto”. Esta fascinação reflete-se no seu trabalho que é feito com excelência e energia. Cativar aqueles que o assistem acaba por ser uma consequência natural. Sublinha a força da característica interpretativa que o ballet exige dos dançarinos. Para Marcelino, um bailarino tem que ter força física e seguir a técnica, mas precisa ter graciosidade e sentir a música ao interpretar um papel.

Esta é a terceira edição da lista 30 under 30 Europe que é dividida em dez categorias, totalizando 300 nomeados. Os temas incluem Arte e Cultura, Entretenimento, Direito e Política, Retalho e Comércio Eletrónico, Empreendedorismo Social, entre outros. Marcelino foi nomeado na categoria Arte e Cultura. Este ano, outros três portugueses fazem parte — o presidente da Juventude Popular, Francisco Rodrigues dos Santos, na categoria Direito e Política, e as empreendedoras no comércio do vestuário de luxo, Filipa Neto e Lara Vidreiro, na categoria Retalho e Comércio Eletrónico.

Marcelino participou da produção The Nutcracker.

A Revista Forbes é famosa por suas listas. A mais conhecida é a lista dos bilionários, onde são destacadas as pessoas mais ricas do mundo. A revista ficou ainda mais conhecida após a música Billionaire, do norte-americano Bruno Mars, onde o cantor fala da vontade de estar na capa a sorrir ao lado da apresentadora, atriz e empresária norte-americana Oprah Winfrey e da Rainha Isabel II — “I wanna be on the cover of Forbes magazine, smiling next to Oprah and the Queen.” Marcelino Sambé, disse ao jornal Público que foi uma das primeiras primeiras lembranças que teve quando soube que tinha sido nomeado a entrar na lista 30 under 30 Europe da Forbes.  

Apesar da publicação ser classificada como uma revista de negócios e economia, suas listas abrangem uma variedade maior de temas. São 67 ao todo. Há uma lista com os atletas mais bem pagos do mundo, das 50 mulheres mais importantes mundialmente na tecnologia, das pessoas mais poderosas do mundo, além da lista dos bilionários. A lista 30 under 30 Europe existe há três anos e é uma ampliação da lista 30 under 30, que existe desde 2011 e trata dos destaques dos Estados Unidos da América e do Canadá.

Ser mencionado na lista da Forbes é sinónimo de reconhecimento mundial. Além de ser um prémio pela excelência do trabalho que está a fazer, é para todos os nomeados um salto profissional. Já fizeram parte dela personalidades como o britânico Ed Sheeran e a paquistanesa Malala Yousafzai. Ainda em entrevista ao Público, Marcelino sublinha que a nomeação “pode resultar em muitos contactos e eventos”. O bailarino, que recuperou-se há pouco de uma lesão séria na tíbia, ressalta que mais difícil que chegar ao sucesso, é manter-se nele. Seu próximo projeto é ser o bailarino principal do The Royal Ballet. Alguém tem dúvidas que este miúdo de Paço d’Arcos vai chegar lá?

A lista dos 30 under 30 Europe é normalmente divulgada ao final de janeiro. Esperamos ter mais talentos portugueses reconhecidos na versão de 2019.

tags: 30 under 30, bailarino, ballet, forbes, Marcelino Sambé, oeiras, Paço d'Arcos