cultura

Festival Jardins do Marquês anuncia mais 3 nomes e completa o cartaz do palco principal

O evento acontece entre os dias 3 e 10 de julho, em Oeiras. Os bilhetes já estão à venda.
Irma é uma das novas confirmações.

Com os cabeças de cartaz completos para as sete noites do festival, o Jardins do Marquês divulgou novos artistas e bandas que compõem as primeiras partes dos concertos do palco principal. Irma, Joana Alegre e Los Romeros são as grandes novidades anunciadas nesta terça-feira, 9 de abril. Os artistas juntam-se aos já anunciados Jazz & Poetry Ensemble, Camané & Mário Laginha, Tabanka Djaz e Toquinho com Camila Faustino. 

Los Romeros vão tocar na primeira data, 3 de julho, a abrir o palco onde passará, depois, Juan Luis Guerra. O trio alentejano, formado em 2012, pretende reinventar a música contemporânea, com um repertório que inclui diferentes ritmos latinos. Além de apresentar arranjos diferentes para temas bem conhecidos do público, a banda também leva a palco músicas novas. Composto por Paula Carapeta (vocalista), Alberto Pereira (guitarra) e Jorge Piedade (percussões), o grupo promete uma performance onde a energia contagiante pretende celebrar a música e a cultura portuguesa (especialmente a alentejana). 

Joana Alegre pisa o palco oeirense no dia 7 de julho, antes do concerto de Patti Smith. A cantautora divide-se entre as fronteiras do folk, art rock e baroque pop, fez formação clássica e de jazz em Portugal, Estados Unidos da América e Itália. Apaixonou o público português em 2014 com “E Agora?”, um dueto com Mikkel Solnado, que produziu o seu primeiro disco “Joan & The White Harts”. Em 2019, participou no programa “The Voice Portugal”, conquistando o terceiro lugar e, em 2021, foi finalista do Festival da Canção com “Joana do Mar”.

No mesmo ano, lançou o segundo disco de originais, “Centro“, produzido por Luísa Sobral e eleito pela crítica um dos melhores álbuns desse ano. Em 2023 editou o single “Nó”, seguindo-se “Ciclotímica”, “Rosa Carne” e “Copo Cheio”, temas que fazem parte do seu terceiro álbum de estúdio, “Luas”, lançado este ano, com oito canções com letra e música da sua autoria.

Por último, Irma, vai atuar no último dia de festival, 10 de julho, garantindo a primeira parte do músico brasileiro Djavan. A cantora nasceu em Lisboa, mas a sua identidade musical reflete a forte influência da cultura angolana, país de origem dos avós com quem cresceu. Aos 12 anos herdou uma guitarra da mãe, instrumento que nunca mais parou de explorar, ao mesmo tempo que se aventurava na escrita de canções.

O lançamento de ”Primavera”, o álbum de estreia, marca o início de um caminho promissor enquanto letrista e compositora da nova geração de artistas portugueses. O single de apresentação, “A Qualquer Hora”, foi escrito dez anos antes. “Próxima Vez” e “Fica Comigo” são dois dos temas do novo EP, “Filha da Tuga”, que vai levar ao público oeirense. 

Em breve, será anunciado o alinhamento do segundo palco do festival, o Nortada. Os bilhetes já estão à venda, com diferentes valores para cada uma das datas. Além das já mencionadas, no dia 4 de julho, poderá assistir ao espetáculo “Um Tom sobre Jobim”. A 5 de julho é a vez de Adriana Calcanhotto subir ao palco, precedida por Camané e Mário Laginha.

Para 6 de julho estão já confirmados três concertos, o de Nelson Freitas e Djodje, com uma primeira parte a cargo dos Tabanka Djaz e também Batida b2b Bong. A 9 de julho, o dueto de António Zambujo e o brasileiro Yamandu Costa vai arrebatar o público. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA