cultura

Daniel Craig queria que James Bond morresse para não ter de voltar ao papel

“Precisava de seguir em frente”, disse o ator numa nova entrevista. “Por isso, pareceu uma boa forma de acabar.”
Daniel Craig foi James Bond durante cerca de 15 anos.

Daniel Craig despediu-se da personagem icónica de James Bond em “007: Sem Tempo para Morrer”, filme que estreou nos cinemas em 2021. No final da história, o agente secreto britânico morre — ao fazer um grande sacrifício por amor.

Um desfecho desejado pelo próprio Daniel Craig, como explicou agora numa entrevista ao jornal “Los Angeles Times”. “Por duas razões: tanto por mim, como pela saga. Pensei: é preciso fazer um reset. Por isso, vamos matar a minha personagem, encontrar outro Bond e outra história.”

Se a narrativa não terminasse de uma forma tão conclusiva, temia que isso pudesse levá-lo a regressar ao papel. “Tinha de seguir em frente. Não quero voltar atrás. Suponho que seria um sortudo se me pedissem para voltar, mas preciso de seguir em frente. O sacrifício que ele faz no filme é por amor, e não há sacrifício maior. Por isso, pareceu-me uma boa forma de acabar.”

Daniel Craig queria despedir-se da saga com “007 Spectre” (2015), quando partiu uma perna durante as gravações de uma cena de ação. Os produtores acabaram por convencê-lo a fazer um derradeiro filme, “Sem Tempo Para Morrer”.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA