cultura

“Complexo, divinal, decadente”: o prato português que fez parar o MasterChef Austrália

Uma concorrente lusodescendente fez um bacalhau à Brás que surpreendeu os jurados do programa.
Christina Batista é luso descendente.

Quem se habituou a ver aquela que é, provavelmente, a mais bem-sucedida edição do programa de culinária, sabe que não é comum encontrar referências à cozinha portuguesa no outro lado do mundo. Pelas bancadas do MasterChef Austrália passam petiscos asiáticos, especialidades italianas, mas raramente um bom prato nacional. Desta vez não foi assim.

Na 14.ª edição do programa, que decorreu no início do ano na Austrália e é agora transmitida em Portugal, na SIC Mulher, pelo menos um prato português teve honras de garantir à criadora um alfinete de imunidade. Christina Batista, a lusodescendente de 40 anos, arrancou a sua participação no programa com um risco calculado: iria fazer aos jurados uma especialidade nacional, um bacalhau à Brás.

“A comida portuguesa é muito subestimada. Muitas pessoas na Austrália ouvem falar de comida portuguesa e pensam em pastéis e frango”, explicou aos três jurados no momento de apresentação do prato. “É muito mais do que isso. Isto é Portugal num prato.”

A opinião do júri foi unânime no elogio da aparente simplicidade do prato que, na boca, se revela “complexo”, “divinal” e “decadente”. “Não são sabores nada fáceis. Bacalhau salgado, azeitonas, são ingredientes fortes (…) é divinal”, explicou Andy Allen.

“É uma premissa tão simples, mas nas mãos certas são milhares de anos de histórias”, acrescentou Melissa Leong. O chef Jock Zonfrillo também concordou: “Foi feito com tanta perícia. Fiquei sem palavras.”

Christina Batista concorreu ao programa em 2013 e ficou em quinto lugar. Teve novamente a oportunidade de regressar ao concurso em 2022, que está atualmente a ser transmitido na SIC Mulher — embora o programa original já tenha terminado na Austrália, mas não vamos adiantar o que acontece.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA