cultura

Canibalismo, violência e abuso: o segredo de Armie Hammer que está a chocar Hollywood

O escândalo teve origem em denúncias anónimas e várias ex-namoradas confirmaram os comportamentos. O futuro do ator é agora incerto.

Numa das mais surpreendentes reviravoltas de que há memória em Hollywood — uma de que só os mais ousados argumentistas se lembrariam —, Armie Hammer passou de estrela e sex symbol a pária, acusado de comportamentos doentios e até canibalismo.

Tem sido uma semana difícil para o protagonista de “Chama-me Pelo Teu Nome”. O escândalo teve início no Instagram da HouseofEffie — conforme a NiT já tínha revelado neste artigo —, através da divulgação de mensagens privadas que o ator terá trocado com uma mulher que se tornou sua amante. Sem mais detalhes, sabe-se apenas que a relação aconteceu entre 2016 e 2020 e que ela estará na casa dos 20 anos de idade.

Esta quinta-feira, 14 de janeiro, a vida de Armie Hammer estava já virada do avesso. As dúvidas de que poderiam tratar-se de imagens adulteradas foram praticamente dissipadas por fotos — nelas é possível ver as tatuagens e os filhos do ator — e mensagens de voz.

Imediatamente, Hammer revelou publicamente que se iria afastar do seu próximo filme, “Shotgun Wedding” cujas gravações iriam começar nos próximos dias. Sobre as acusações, disse serem falsas, sem mais detalhes.

Ao final do dia, haveria de saber-se também que o ator de 34 anos abandonou, há algumas semanas e de forma silenciosa, o elenco da série “Gaslit”, onde deveria contracenar com Julia Roberts e Sean Penn.

Entretanto, a denunciante continua a despejar conversas privadas, contextualizadas com relatos de outras mulheres que entretanto têm manifestado não só o seu apoio, mas também algumas revelações sobre o estranho comportamento do ator.

“Alguém escreveu por estes dias: ‘Conseguem imaginar quanto material terá ela sobre ele depois de uma relação de quatro anos?’. Sim, vamos estar aqui nisto o ano todo, a não ser que o Armie Hamer confesse todo o incompreensível sofrimento que nos causou, peça desculpa e procure ajuda psicológica”, escreveu a denunciante.

A obsessão pelo sangue (e o canibalismo)

“Sou um canibal a 100 por cento”, revela a certa altura Armie Hammer. As mensagens e conversas divulgadas não seguem uma ordem cronológica, mas traçam o cenário de uma relação extraconjugal assente nos fetiches e fantasias de ambos.
Nos momentos mais tensos, onde Hammer revela estar mais excitado, a conversa redunda quase sempre nos mesmos temas: violência, sangue e na sua vontade de “comer” a parceira.

“Estou a imaginar-me a agarrar o teu coração na minha mão e a controlar quando é que ele bate. Sou um canibal a 100 por cento. Quero comer-te. Foda-se, é assustador admitir isto. Nunca o tinha feito antes”, escreveu a certa altura. “Preciso de beber o teu sangue”, acrescentou noutra troca de mensagens.

“Se estivesses ao meu lado e eu te fizesse um pequeno corte, adormeceria a chupar-te o sangue. Um bocadinho do seu sangue, o teu sabor, o sabor do teu ferro e minerais a embalarem-me”, escreve.

Os pedaços soltos de conversas revelam que as confissões do ator ocorrem por mais do que uma vez. Um tema demasiado recorrente, feito em tom de desabafo, que parecem contrastar com a relação de dominação consensual que existia entre ambos.

“Os brinquedos são giros e tal, mas eu quero consumir-te completamente. Quero arrancar bocados de ti à dentada”, escreveu numa mensagem datada de junho de 2020.

O tom endurece noutra conversa: “Quero ver tudo. Quero ver o teu cérebro, o teu sangue, os teus órgãos. Definitivamente que te morderia. Ou tentaria fodê-los. Não sei qual escolheria, provavelmente faria as duas coisas”. Hammer não parou por aí. “Não consigo parar de pensar em realmente foder o teu cérebro”, notou, minutos antes de sugerir dar a ordem para “cortar os pulsos” e “usar o sangue como lubrificante para sexo anal”.

Em 2017, o ator confessava a origem destes pensamentos. “É uma coisa que está profundamente enraízada. Eu queria literalmente comer-te. Consumir-te. Nem sei explicar”, confessou. “Juro que esta merda é perigosa, ainda me torna num serial killer canibal”, lançou.

“Sim, tens que controlar isso ou podes mesmo tornar-te num”, respondeu a denunciante, numa das poucas mensagens suas que divulgou. “Essa é a parte assustadora. Sinto isso. Neste momento estou saciado e nem sequer estou excitado, mas quando o isso regressa, assusta-me (…) Sinto-me como um verdadeiro animal. Podia ter-te matado. É tão intenso”, explica.

As revelações levaram milhares de fãs a revisitarem declarações de Hammer ao longo dos anos, que vistas à luz destas mensagens, ganham contornos verdadeiramente assustadores. “Agora dizes que a carne humana é saborosa? É a terceira referência que fazem a canibalismo. Posso perguntar uma coisa? A que sabe a carne humana?”, escreveu numa conversa no Twitter em 2017.

Com origem noutra conversa privada revelada por uma fã, Hammer responde à pergunta sobre qual é o seu filme de terror preferido. “Não é bem terror mas é tão bom e tão sexy ao mesmo tempo. É um filme francês chamado ‘Raw’”, respondeu. Lançado em 2016, conta a história de uma aluna de medicina veterinária que ganha o gosto por carne humana e se torna canibal.

Perante as denúncias, alguém finalmente deu a cara pelas acusações e confirmou publicamente o que as denunciantes anónimas vinham revelando. Courtney Vucekovich, ex-namorada do ator, revelou ao “The Daily Mail” que Hammer é “charmoso e intenso”, mas que se torna “sexualmente agressivo”. Confirmou os fetiches de dominação e sado-masoquismo do ator e revelou a sua própria experiência traumática.

“Ele torna-se obcecado por ti. Primeiro sentes-te segura, depois começa a ser estranho”, confessa. Revela que a sua relação rapidamente descambou no mesmo tipo de cenários denunciados nas mensagens. “Gostava muito de dizer que ia arrancar uma das minhas costelas e comê-las”, conta.

Acabou por explicar que não iria entrar em mais detalhes, mas que o comportamento bizarro e abusivo do ator durante a relação a obrigaram a procurar terapia depois do fim do caso.

“Estava constantemente a ser manipulada e a fazer coisas que me assustavam. Era uma adulta capaz de dar consentimento, mas não era eu. Ele é bom no que faz e a convencer-te a obedecer. É uma pessoa muito obscura e retorcida.”

Os abusos sexuais

A denunciante principal começou por revelar que o seu caso extraconjugal com o ator — casado durante dez anos com Elizabeth Chambers, de quem se divorciou no verão — não foi o único. Acusa Hammer de manipulação, de prometer a todas as suas amantes que se haveria de divorciar. Terá inclusivamente conhecido a mãe de várias delas.

Revelou mais tarde que antes da divulgação das mensagens, recebeu o contacto de várias mulheres que lhe ofereceram relatos muito parecidos aos seus. “Decidimos coletivamente que deveríamos falar, depois da forma como fomos tratadas (…) Não podemos permitir que mais mulheres tenham que passar por aquilo que nós passámos “, escreveu, antes de se explicar em detalhe o seu caso.

Hammer terá ajudado a criar a ilusão de que se tratava de uma relação séria, apesar de extraconjugal. “Sabias que mexeu comigo quando me violaste. Durante muito tempo nem sequer tinha a certeza se tinha sido uma violação. Não sabia que isso podia acontecer entre pessoas que supostamente estão numa relação”, escreve numa mensagem enviada ao ator que agora divulgou no Instagram.

A denunciante fala de uma violação e da forma como começou a refugiar-se no álcool depois do trauma — e chegou a ponderar o suicídio. Relata também um dos encontros mais violentos, onde diz que manteve “os olhos fechados durante quatro a cinco horas”, antes de “rastejar para agarrar uma faca e cortar as cordas” que a atavam.

Chegou a confrontar Armie Hammer com a violação, mas o ator terá dito que estava “sob a impressão de que os limites haviam sido discutidos”. A denunciante nega tudo.

Outra denunciante que também quis manter o anonimato, revelou que trocou mensagens com o ator e que acabou por ser convidada para um encontro sexual com Hammer e outra mulher. “Conversamos sobre dinâmicas de dominação e não-consentimento consensual [uma vertente de sado-masoquismo que consiste na simulação consensual de uma violação] e fiquei alarmada quando ele disse que ‘a parte mais divertida’ era o facto de o fazermos sem uma palavra de segurança [normalmente para interromper o ato quando uma das partes sente que se foi longe demais].”

“Para quem não estava preparada, aguentaste-te como uma campeã”, atirou Hammer noutra mensagem, relativa a um suposto encontro com a autora de HouseofEffie e com outra mulher. “Não, eu tentei rastejar e estava a chorar de forma histérica”, respondeu a mulher. “Ela deve ter ficado surpreendida haha Foi à pisicna e quando voltou encontrou uma vítima de abuso sexual”, brincou o ator.

A mulher manteve o tom sério. “Nem sequer conseguia olhar para ti durante isso tudo, de tão preparada que estava…”, respondeu.

Frequentemente, o ator avança com a possibilidade de não usar palavra de segurança ou, no caso extremo, de fazer a vítima arrepender-se. “Alguma vez viste alguém num ato de não-consentimento consensual quebrar, mas no final acabar por gostar?”, questiona. “E quando ninguém apresenta queixa [na polícia], como um bom escravo faz, boom, não há problema”, conclui. “Isso não funciona assim”, responde a mulher.

A certa altura, Hammer deixa uma ameaça: “Se por algum razão isto corre mal e a minha mulher descobre, provavelmente vou arrancar-te a cabeça do corpo”. As relações ter-se-ão tornado mais íntimas e perigosas, ao ponto da denunciante ter alegadamente entrado em contacto com a mulher de Hammer, Elizabeth Chambers.

A situação terá sido apaziguada pelo ator. “Já está a passar. Desde que prometas que nunca mais fazes nada deste género. E podes crer que vais ser castigada severamente pelo que fizeste.”

Não era a primeira ameaça. A denunciante revela que terá tentado esconder-se durante alguns meses depois de uma zanga. Entre as imagens de mensagens reveladas, a autora de HouseofEffie partilou algumas fotos das marcas deixadas pelos abusos do autor que, até certo ponto consensuais, terão ultrapassado as marcas definidas.

“Vou foder-te por trás enquanto te prendo o pescoço com um cinto”. “É perigoso”, respondeu a mulher. “Não vou apertá-lo”, garantiu. A mulher garante que foi isso que aconteceu.

É provável que nos próximos dias, mais mensagens sejam divulgadas. Entretanto, nas redes sociais multiplicam-se os relatos que confirmam as historias e o comportamento do ator — e outros que o desmentem.

O mais recente é o de Jessica Ciencin Henriquez, apanhada num encontro com o ator em setembro, e que diz que “é necessário um exército para esconder um predador”. “Se ainda questionam se as mensagens são ou não reais, talvez esteja na altura de questionarem o porquê de vivermos numa cultura que está disposta a dar aos abusadores o benefício da dúvida, ao invés de ele ser dado às vítimas.”

As declarações públicas de Hammer têm agora sido usadas contra si e, vistas após a divulgação das mais recentes mensagens, ganham novos contornos. “Gostava de ser um amante dominador. Gosto de agarrar o pescoço e o cabelo e tudo isso. Mas quando te casas, os teus apetites sexuais mudam. E digo isso com o melhor dos sentidos — não é que esteja a sofrer, mas não podes puxar o cabelo à tua mulher”, disse em 2013 à “Playboy”. Em novembro, Hammer deixou uma última pista. Numa entrevista, questionaram-no sobre quem seria o seu convidado de sonho para um jantar. A resposta? “O Marquês de Sade.” O filósofo e político francês do século XVIII ficou famoso pelas suas obras sexuais, onde expunha arriscadas preferências, assentes na violência e no sofrimento

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA