cultura

A sétima edição do Festival Internacional de Piano de Oeiras está quase a começar

O evento decorre no Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide, todos os domingos entre 30 de junho e 28 de julho.
Teresa Palma Pereira no FIPO 2023. Imagem: CMO

Pelo sétimo ano consecutivo realiza-se, em 2024, o Festival Internacional de Piano de Oeiras (FIPO). A iniciativa da Academia de Música Flor da Murta, com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, vai decorrer entre os dias 30 de junho e 28 de julho. 

A sétima edição do evento conta com um cartaz de excelência, que inclui reputados pianistas nacionais e internacionais. Mais um vez, o Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide, será palco dos recitais, que se vão realizar todas as semanas, aos domingos, sempre às 18 horas.

O ciclo de concertos arranca, como é habitual, com a apresentação da diretora artística do FIPO, Teresa Palma Pereira, a 30 de junho, onde irá tocar Mozart, Chopin, Liszt, Albéniz e Tchaikovsky, terminando com a Sherezade de Rimsky-Korsakov. “O programa do FIPO, deste ano, procura aquilo que Roland Barthes designa como o ‘corpo musical’, ou seja, a autonomização da música criada por cada compositor através da interpretação dos pianistas e da sua partilha com a assistência. Todos esperamos interpretações exímias e grande empatia emocional com as obras”, sublinha. 

Segue-se, a 7 de julho, a sul-coreana Yeol Eum Son, laureada no concurso internacional Tchaikovsky para jovens pianistas. Irá apresentar um programa original, com várias peças de pianistas que também foram compositores, como Alicia de Larrocha, Paderewski, Weissenberg, F.Gulda, Wild e Rachmaninov.

A 14 de julho é a vez do jovem pianista de 20 anos, Yoav Levanon, que a Diapason Magazine afirmou “ter tudo para se se tornar um dos maiores pianistas deste século”. O recital será composto por peças de Bach, Chopin, Liszt e, ainda, uma obra que o compositor e pianista canadiano Marc-André Hamelin escreveu especialmente para ser tocada por ele.

Na semana seguinte, a 21 de julho, sobe ao palco a pianista russa Yulianna Avdeeva, prémio Chopin,  que vai interpretar Chopin e Liszt. Por último, a 28 de julho, toca Piotr Anderszewski, que a Gulbenkian apresenta como “um dos maiores pianistas do nosso tempo”. O seu programa relacionará Beethoven, Szymanowski, Bartók e Bach, prometendo “uma visão de conjunto” das diferentes obras durante o recital.

“Nos recitais, serão interpretadas obras de grandes compositores, garantindo-se uma grande variedade dos repertórios que permita corresponder ao gosto diversificado do público. Será usado um piano de concerto Steinway and Sons”, garante a organização. 

Para Teresa Palma Pereira, “só é possível atrair para o festival de Oeiras um naipe de pianistas tão prestigiado mundialmente porque eles aderiram ao projeto artístico do FIPO e da Academia de Música Flor da Murta, que o organiza todos os anos. Nos roteiros internacionais, o festival de Oeiras passou a ser associado a recitais que, para além da excelência técnica dos executantes, têm na emotividade das interpretações a sua imagem de marca”.

“A música clássica apresenta, atualmente, um conjunto de pianistas muito conceituados e premiados, mas temos também jovens com muito talento e com caminhos que, apesar de curtos, já lhes conferem não só o reconhecimento de especialistas da área, como do público. Esta será uma oportunidade única para os amantes deste género musical assistirem gratuitamente a espetáculos destes conceituados artistas em todo o mundo”, conclui a diretora artística do FIPO. 

A entrada no Festival Internacional de Piano de Oeiras é livre. “A missão deste festival é precisamente oferecer ao público de todas as posições sociais o acesso livre a recitais de excelência”, afirma Teresa Palma Pereira.

No entanto, os lugares estão limitados à lotação da sala. O ideal é reservar o seu lugar através do site oficial do evento. As inscrições para a primeira data já se encontram esgotadas, por isso, deverá estar atento ao site para se inscrever nos próximos. O levantamento de bilhetes faz-se nos dias de cada concerto, cerca de 30 minutos antes do mesmo. No site poderá também conhecer melhor a programação de cada recital. Para mais informações envie email para info@nullfipoeiras.com.

O facto de ser um evento gratuito é uma das razões do sucesso, segundo a organização. “A assistência do FIPO é outro dos desafios que atrai pianistas de todo o mundo. Como a entrada no festival é gratuita, requerendo apenas inscrição prévia, as suas plateias constituem uma curiosa mistura de melómanos de todas as idades, jovens profissionais em início de carreira e músicos amadores, que cria uma notável identificação com os artistas que executam os recitais”. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA