cultura

“A História de Nós 2”: peça que foi um sucesso no Brasil chega este mês a Oeiras

A NiO falou com o ator Roberto Bomtempo sobre o espetáculo que estreia a 23 de fevereiro, no Teatro Independente de Oeiras.
Miriam e Roberto são o casal protagonista.

A peça estreou no Brasil, em 2009, e só nesse ano foi vista por mais de 800 mil espectadores, sendo distinguida pelo público (leitores de O Globo) como a melhor do ano e nomeada para alguns prémios de teatro. “A História de Nós 2”, escrita por Lícia Manzo, fez tanto sucesso que acabou por ficar dez anos em cena. Agora, com outro elenco, chega a Portugal e é em Oeiras que acontece a sua estreia. 

A narrativa explora a vida de um casal, Edu e Lena, revivendo várias fases da sua história em flashbacks, desde que se conheceram, ao nascimento do filho, até à crise no casamento. “O espetáculo decorre na noite em que Edu, separado de Lena há algum tempo, vai buscar os seus últimos pertences ao apartamento”, refere a sinopse. “O derradeiro encontro do casal converte-se num ajuste de contas a um só tempo cómico e emocionante, onde tentam descobrir quem afinal causou a separação: a mulher, a mãe, a advogada bem-sucedida ou o marido, o adolescente eterno, o publicitário workaholic”. 

Em cima do palco do Teatro Independente de Oeiras (TIO) vão estar duas caras bem conhecidas do público, tanto brasileiro como português. Miriam Freeland e Roberto Bomtempo têm uma longa carreira em novelas, cinema e a teatro. Há quatro anos, quando vieram viver para Portugal, instalaram-se em Oeiras, mais precisamente em Paço de Arcos, “onde encontrámos tranquilidade e qualidade de vida, onde nos sentimos muito acolhidos, muito em casa”, comenta Roberto. Foi então que conheceram Carlos d’Almeida Ribeiro, diretor e encenador do TIO. “Criámos logo uma empatia muito grande, parece que somos amigos da vida toda”, conta o ator à NiO.

Foi o início de uma relação de amizade, de onde nasceriam também frutos profissionais. Curiosamente, foi com uma peça infantil, “O diário de Pilar na Grécia”, que se estrearam no Teatro Independente de Oeiras. “Eu e a Miriam somos também produtores, no Brasil, e temos várias peças prontas que podemos pôr rapidamente em cena. Quando falámos com o Carlos, ele disse-nos que o conceito do TIO eram as comédias e nós só tínhamos dramas. À exceção de ‘O diário de Pilar na Grécia'”. 

Desta vez, o espetáculo é para adultos. A encenação ficou a cargo de Carlos d’Almeida Ribeiro, para quem 2024 não podia ter começado da melhor forma. “Sou brindado por um começo de ano absolutamente fenomenal: começar os trabalhos artísticos de um novo ano dirigindo e encenando dois vultos consagrados do teatro, televisão e cinema brasileiro e de colossal talento artístico, Miriam Freeland e Roberto Bomtempo. Dois artistas com um currículo invejável, só alcançável para os grandes, quer em cima do palco, quer, sobretudo, na vida. Quiseram eles endereçar-me o convite para os dirigir. É um prémio de carreira que levarei comigo”, confessa.  

Esta é uma “comédia (dramática) romântica”, como caracteriza Roberto, que “começa com eles se separando e o espetáculo vai decorrendo daí. Através de flashbacks vamos descobrindo a história do casal, que passa por situações muito cómicas, e outras nem tanto, numa grande jornada que está relacionada com a realidade de muitos outros casais”, aponta o ator. 

Na sinopse, podemos ler: “Edu é um homem dividido entre o desejo de ascender profissionalmente, a vontade de manter um casamento e o sonho de se ser eternamente livre. Já Lena é uma mulher ‘partida’ entre carreira, maternidade e paixão. Dois personagens que, em cena, transformam-se literalmente em seis: Edu, Duca, Carlos Eduardo, Lena, Mammy e Maria Helena, dando corpo e voz às diferentes ‘facetas’ de um mesmo homem e uma mesma mulher. A história mistura essa mudança de fases dos personagens e mostra um casal com opiniões divididas”. 

À New in Oeiras, o ator explica: “Vão surgindo subpersonagens, numa tentativa de sobrevivência na relação. A peça traz à tona questões de qualquer relação, ele numa busca de quem foi quando era jovem, ela que se sente sozinha na criação do filho, mas sempre mantendo o humor. São situações tragicocómicas”.

O espetáculo une Miriam e Roberto, juntos no palco e na vida. São casados há 19 anos. “Esta peça também nos fez conversar um com o outro, pensarmos em relações passadas, na pouca maturidade que tivemos nos primeiros casamentos. É essencial um casal ter diálogo, conversar. As pessoas distanciam-se pela falta de tato, de reflexão. Queremos que o público se identifique com as personagens, que percebam que mesmo numa separação, as pessoas podem tornar-se amigas. Há questões que são vividas universalmente”, sublinha Roberto. 

Para a autora, Lícia Manzo: “A história mistura a mudança de fases dos personagens e mostra um casal com opiniões divididas. Toda a gente tem problemas no casamento, mas é um tema abordado com muita graça, as pessoas identificam-se com o texto. Os casais se cutucam a cada cena, eles reveem-se nos personagens. Todos se divertem muito e no final emocionam-se, inclusive os homens”. 

“A História de Nós 2” estreia no dia 23 de fevereiro, depois de quase dois meses de ensaios. Vai estar em cena até 16 de março, todas as sextas e sábados às 21h30, no Teatro Independente de Oeiras, situado no Edifício Parque Oceano, Rua Dr. José Joaquim de Almeida, em Santo Amaro de Oeiras. O espetáculo tem a duração de 70 minutos (sem intervalo). O bilhete custa 16€ e encontra-o à venda no site da Ticketline e locais habituais. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA