cultura

A escritora brasileira Djamila Ribeiro vai estar esta quarta-feira em Oeiras

É a convidada de mais um Café com Letras, que decorre a 12 de junho, no Templo da Poesia, em pleno Parque dos Poetas.
A escritora tem 43 anos.

Djamila Ribeiro é a convidada de mais uma edição do Café com Letras, uma iniciativa promovida pelas Bibliotecas Municipais de Oeiras, que pretende ser um ponto de encontro entre autores consagrados de língua portuguesa (e estrangeira) e o seu público. Trata-se de uma conversa sobre literatura, que conta já com mais de 100 edições.

Desta vez, o evento não vai decorrer numa das bibliotecas, mas sim no Templo da Poesia, no Parque dos Poetas, em Oeiras. A escritora brasileira vai estar à conversa com José Mário Silva, o jornalista anfitrião, esta quarta-feira, 12 de junho. O público poderá assistir ao vivo, de forma gratuita. 

Djamila Ribeiro irá falar sobre a sua obra literária e o percurso pela escrita, com destaque para o livro “Cartas para a Minha Avó”, editado em Portugal pela Caminho, no passado mês de abril, com 240 páginas. “Pequeno Manual Antirracista” e “Quem tem medo do feminismo negro?” são outras obras da escritora.

“Enquanto escrevia essas cartas para você, meu irmão Denis, o mais velho, me enviou uma foto sua, vó. Você estava toda altiva, usando roupas brancas e com um turbante na cabeça. Fiquei observando cada detalhe da imagem, me demorei imaginando quais histórias havia por trás das rugas em seu rosto, quantas vidas tinham sido afetadas por aquelas mãos calejadas que curavam cobreiros e davam esperança aos que foram benzidos.”, revela a sinopse do livro.

“Mas nada me chamou mais atenção do que seus olhos. Um olhar penetrante, forte e, de novo, altivo. Minha mãe carregava o mesmo olhar, apesar de ele ter sido encurvado pelo tempo. Às vezes, ela falava só com olhares e eu aprendi a decifrar cada um deles: ‘Saia daqui’, ‘Fique quieta’, ‘Não se meta, é conversa de adulto’, ‘Quando seu pai for trabalhar, você vai se ver comigo'”, conclui. 

Licenciada em Filosofia e mestre em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo, é professora convidada da New York University (NYU). É também coordenadora do projeto Feminismos Plurais, que compreende uma coleção de livros publicados sobre raça e género por pessoas negras, bem como um instituto de acolhimento a mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Em 2020 ganhou o Prémio Jabuti, o mais importante do meio literário brasileiro, na categoria de Ciências Humanas. Em 2023 recebeu o Prémio Franco-Alemão de Direitos Humanos e, desde 2022, ocupa a cadeira número 28 da Academia Paulista de Letras, sucedendo à escritora Lygia Fagundes Telles. É colunista semanal do jornal “Folha de S. Paulo” e foi considerada pela BBC como uma das 100 mulheres mais influentes do mundo. 

A sessão está marcada para as 21 horas. Pode assistir gratuitamente no local ou, caso não consiga ir até lá, poderá acompanhá-la online através do Facebook das Bibliotecas Municipais de Oeiras, onde será transmitida em direto. Para mais informações, pode contactar o email sofia.mendes@nulloeiras.pt.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA