cultura

5 sugestões de livros para todas as idades que tem de ler este ano

A NiO falou com as responsáveis da livraria independente GATAfunho sobre os impactos da pandemia. Saiba como pode ajudar.
Visite o espaço, prometemos que não se vai arrepender.

O constante “vaivém” de restrições e medidas de segurança para a contenção da pandemia tem sido uma etapa demasiado longa na vida de muitos negócios oeirenses. A entrada e saída de clientes diminui, as vendas caem e torna-se muito difícil para os negócios manterem as portas abertas. Por isso, falámos com uma das livrarias mais famosas do concelho: a GATAfunho.

A New in Oeiras tentou perceber os efeitos da pandemia no negócio nos últimos meses e como é que os residentes podem ajudar. Em conversa com Ana Paula Faria e Inês Araújo, mãe e filha, percebemos que a paixão pelos livros é, de facto, gigantesca e que o projeto tem sido um sonho desde o início. Porém, há sempre algum tipo de dificuldade, neste caso, a pandemia. Há mais de 15 anos como editora de livros e há dez como livraria, o espaço tem sentido verdadeiramente a diferença desde março de 2020.

“Temos tido altos e baixos como qualquer negócio e já superámos uma grande crise [2009]. Ainda estamos todos a tentar superar esta e mudou muita coisa. Sempre tivemos muitas atividades e a pandemia veio alterar a nossa agenda. Também sempre fizemos parcerias com escolas e isso ainda não retomou a normalidade”, esclarecem Ana e Inês.

Tal como a maioria dos negócios, a GATAfunho teve de se apoiar nas vendas digitais. Estas já estavam disponíveis no site oficial da livraria, mas eram encaradas como uma alternativa. Durante meses tornaram-se na única opção para manter alguma rentabilidade. 

“No início, a venda online foi um grande boom e depois sofreu também altos e baixos. Este Natal, os portugueses compraram menos. As vendas têm sido menores e mais tardias, mas acabou por correr bem”, explicam. 

Relativamente à grande agenda que todos os anos leva os pais e o filhos a divertirem-se em família no espaço no Largo 5 de Outubro, por enquanto não existe. “Neste momento, cancelámos tudo. Não queremos pôr as pessoas em risco. Para fazer mal, preferimos não fazer”, reforçam.

A verdade é que, mais do que nunca, os negócios locais precisam de ajuda e de todos os contributos possíveis. Sem a proximidade do público que tanto apaixonavam Ana e Inês, o lugar vive da compra de livros que se vai fazendo com todo o carinho e atenção com que ambas já nos habituaram. Os embrulhos incríveis e fora deste mundo continuam disponíveis para quem quer impressionar um familiar ou amigo e os conselhos e recomendações também. Caso compre aqui um livro, nunca o fará sozinho. 

Por isso, se estiver à procura de um miminho para oferecer a alguém especial, adquira um livro na GATAfunho. Pode fazê-lo online ou no espaço físico mesmo no centro histórico de Oeiras. Não perca a oportunidade de conhecer a simpatia de ambas as responsáveis. 

De seguida, carregue na galeria para ficar a conhecer as cinco sugestões de Ana Paula Faria e Inês Araújo que são perfeitas para todas as idades.

 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA