cultura

Isaltino Morais é o primeiro convidado das tertúlias da Orquestra de Câmara Portuguesa

A sessão sobre inovação e cultura está marcada para esta quarta-feira, 27 de outubro, em Algés.
Isaltino Morais.

A Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP), fundada em 2007, procura tornar a arte e a música algo essencial na sociedade, sendo uma plataforma de lançamento de novos talentos nacionais. Pedro Carneiro, um dos fundadores do projeto, é o responsável pela direção artística e lidera a mais recente geração de instrumentistas do País. 

É por querer apostar na cultura do conhecimento, que a OCP introduziu um Ciclo de Tertúlias que vai expor vários temas ao longo do tempo, convidando diferentes personalidades. O convidado da primeira sessão é o Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais. O tema é a inovação e cultura no município. Pode assistir presencialmente a esta conversa que se irá decorrer na própria Orquestra de Câmara Portuguesa, no número 1 da Rua Sofia Carvalho, em Algés, no dia 27 de outubro, às 20 horas. 

Este convite vem a propósito de Oeiras ser um dos concelhos com uma agenda especificamente direcionada para a cultura, tecnologia e ciência. A aposta na inovação pode ver-se através dos vários projetos já anunciados para os próximos quatro anos correspondentes ao novo mandato de Isaltino Morais, como o Templo da Água.

Este último trata-se de um museu que vai oferecer uma experiência diferente aos visitantes ao dar informações sobre a importância da água e o seu papel na Natureza. É a partir de reproduções tridimensionais com componente sensorial das Cataratas do Niágara ou o Ártico que o público ficará sensibilizado para este tema. Quando o museu abrir, pode esperar a tecnologia mais recente ao longo da sua visita. O projeto terá áreas em 4D (tecnologia quadrimensional), IA (Inteligência Artificial), loT (internet of things) e 5G (nova geração de telecomunicações/internet móvel). 

O município está a apostar bastante nestes temas também por ser candidato a Capital Europeia da Cultura. Jorge Barreto Xavier, Comissário do “Oeiras27”, projeto que inclui esta candidatura, já explicou a importância da associação das marcas “ciência e tecnologia”, que já distinguem o concelho, à “arte e cultura”. Assim, este projeto não se vai ficar pela candidatura de Oeiras a Capital Europeia da Cultura, incluindo uma programação bastante preenchida no futuro.  

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA