compras

Os cortes de cabelo comprido perfeitos para as mulheres com mais de 50 anos

Já lá vão os tempos em que apenas as mais novas podiam apostar neste estilo. A NiT reuniu uma lista de 11 cinquentonas poderosas para se inspirar.
A idade é um mito.

Desde miúdas que ouvimos a mesma frase ser repetida de forma pesarosa pelas nossas mães, tias e avós. “Já não tenho idade para usar isso” é uma daquelas expressões que deviam ser banidas definitivamente do léxico de todas as mulheres, mas cujas crenças perduram no imaginário feminino, mesmo em pleno século XXI, quando já estamos todos tão fartos de estereótipos e clichés — ou, pelo menos, devíamos.

Um desses mesmos estereótipos é o de que apenas as mulheres mais novas têm uma permissão divina e imaginária para usar o cabelo comprido, mesmo quando tantas celebridades poderosas e inspiradoras têm provado repetidamente o contrário.

Se há coisa que os primeiros anos desta década nos estão a ensinar é que as expetativas da sociedade no que toca ao cumprimento do cabelo deviam ser cuidadosamente embrulhadas e atiradas pela janela. Em 2021, a estética dos anos 70 está in e com ela regressam os estilos compridos, vertiginosos.

“Estamos a afastar-nos da ideologia de que as mulheres de uma certa idade devem cortar o seu cabelo curto”, explicou à “Vogue” Dom Seeley, diretor-criativo internacional da Color Wow. “Tem tudo a ver com o que a faz sentir-se confiante; aquilo que define o seu estilo e personalidade. Não há nada de errado com usar o cabelo mais curto à medida que se envelhece, mas não se conforme com as crenças da sociedade sobre como se deve sentir ou apresentar.”

cabelo

A lista de mulheres com mais de 50 anos que são exemplo disso já é longa: Sarah Jessica Parker, Monica Bellucci, Jennifer Lopez e Naomi Campbell são apenas algumas delas. E a melhor parte é que existe apenas uma regra para usar o cabelo comprido, que se aplica a qualquer idade e ganha algum peso à medida que o tempo passa: tem de ter um aspeto saudável.

É importante prestar uma atenção constante às pontas para prevenir um aspeto estragado ou seco. Para isso, Seeley diz que não é preciso cortar a cada seis semanas, mas manter-se em sintonia com o seu cabelo e os seus hábitos.

“Todos os cabelos crescem de forma diferente, e como o cuida ou mantém tem peso na frequência com que precisa de o cortar”, explica. “Acho que uma abordagem mais proativa é pensar num prazo mais alargado do que as tradicionais seis semanas.”

Com a passagem do tempo, é natural que o cabelo se torne mais seco ou espesso por causa da textura dos fios brancos, mas também devido à perda de lípidos e hidratação essenciais, que podem levar à quebra e a uma falta de brilho e elasticidade.

Um bom regime passa por nutrir profundamente cada fio. Considere adicionar este hábito à sua rotina de beleza. “Se mantiver um regime de cuidados rigoroso, com protetores de calor, e investir em ferramentas elétricas de qualidade para secar e pentear o cabelo, não se arrisca a torná-lo seco e quebradiço, que é quando é necessário cortá-lo com mais frequência”, acrescenta o profissional.

Quando estiver pronta para deixar o cabelo crescer, o melhor é mesmo consultar o seu cabeleireiro para perceber que estilos melhor vão favorecer melhor o formato da sua cara. “As franjas suaves e as camadas que chamam a atenção para os olhos e maçãs do rosto são sempre boas opções”, diz Paul Edmonds, profissional da área.

Outra recomendação é olhar para as celebridades que aderiram ao estilo para retirar inspiração. “Elas (e os seus cabeleireiros) sabem como acentuar a cara através do uso de cor e diferentes comprimentos que favorecem e realçam as características — desde a pele aos olhos — fazendo-as parecer mais jovens”, acrescenta Seeley.

A seguir, carregue na galeria para se inspirar com estas 11 cinquentonas poderosas que aderiram à tendência dos cabelos compridos.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA