compras

A nova oficina de cerâmica que une três gerações tem peças de artesanato incríveis

Teresa Vieira abriu um pequeno espaço em Algés onde realiza todas as suas criações.
O espaço fica em Algés.

Teresa Vieira tem 59 anos e está a realizar um sonho. Após mais de uma década emigrada em vários países, focada numa carreira de marketing e vendas, regressou a Portugal este ano. Sem conseguir arranjar um emprego, decidiu criar o seu caminho.

“É um regresso às origens, e em todos os sentidos. Voltei à minha grande paixão, e à minha primeira profissão. E regressei à casa onde nasci, em Algés. A oficina fica a 50 metros da casa”, conta Teresa Vieira à New in Oeiras. No liceu, a artesã já fazia crochet. Debaixo da secretária, durante as aulas, criava luvas, cachecóis e gorros, que vendia aos colegas no intervalo.

A Teresa Oficina de Artes abriu no dia 10 de dezembro, mesmo a tempo dos presentes de Natal. “Surgiu de uma paixão antiga pela criação. Desde pequena que gosto de me exprimir através das mãos.”

Na “micro oficina”, como descreve a artista, encontra as suas peças de diferentes técnicas: cestaria, cerâmica, olaria, madeira, decapê, decoupage, e bijuteria. Teresa conta ainda com duas ajudantes muito especiais, a sua mãe, de 84 anos, e a sua sobrinha, que tem 16. “As duas metem as mãos na massa, literalmente. Têm feito peças lindas.”

Um dos temas recorrentes é a natureza, onde encontra várias vieiras — uma homenagem ao nome de família. A coleção fóssil tem precisamente vieiras e outras conchas, a mármore é feita com um material de aspeto marmoreado, há ainda motivos marítimos, a coleção missangas (que pode ser depois construída pelo cliente), e um conjunto enorme de queimadores de incenso.

As peças começam nos 3€ e, por enquanto, vão até aos 30€. O espaço fica no número 11 da Rua Mariana de Lencastre, em Algés, e de momento funciona apenas por marcação. Basta ligar (917 768 648) e combinar um dia e uma hora.

Se quiser, pode ainda optar por ver as peças no Facebook ou no Instagram, encomendar através de mensagem privada, e receber em casa via CTT — os portes variam consoante o local e o peso da encomenda. No verão, se a pandemia o permitir, o espaço irá ainda acolher diversos workshops, sobretudo de cerâmica, aproveitando o forno que lá se encontra.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA