compras

Já pode encomendar peças da nova coleção da Maracuiá

A pensar no outono/inverno, a oeirense Joana Centeno criou brincos, camisas, blusas e vestidos inspirados em África.
Esta é uma das peças à venda.

Foram muitos os negócios que apostaram na pandemia como uma forma de estabelecerem os seus clientes habituais, para se expandirem ou para criarem presença nas redes sociais. É mesmo essa a história da Maracuiá, a marca de Joana Centeno, oeirense de 32 anos.

O projeto começou a ser pensado em 2013, mas só ganhou forma o ano passado.  Licenciada em Serviço Social e Política Social, viveu seis anos em Angola e, mais tarde, muda-se para Moçambique e é lá que tudo acontece. Joana desenha as peças e um artesão moçambicano coloca tudo em prática.

Mais recentemente, a Maracuiá lançou uma nova coleção. Chama-se Alma e é composta por brincos, camisas, blusas e vestidos. As peças, sempre com as cores vibrantes africanas, são feitas em pouca quantidade, o que as torna ainda mais especiais.

Entre os novos artigos tem a blusa Regina em tecido capulana nas cores kaki e amarelo (28€), o vestido Hawini em cem por cento algodão em vermelho e azul (49€), a camisa Diana com mangas em balão na cor azul céu ou verde (35€) e, por fim, os brincos Zanzibar em madeira pinho, pintados à mão, nas cores ice, magenta, pêssego e verde (15€). 

Quando está em África, é a sua mãe quem fica à frente do negócio. Tudo é vendido através do Instagram e do site, onde os preços apresentados já incluem os portes de envio. A Maracuiá também está presente em alguns mercados, como é o caso dos Artistas no Bairro.

De seguida, carregue na galeria para conhecer a incrível nova coleção da Maracuiá. 

 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA