compras

Este casal lançou uma marca de decoração para todas as idades com peças em cortiça

Beatriz e José Miguel queriam oferecer alternativas sustentáveis ao plástico e aos materiais tóxicos. Quem os inspirou foi a filha, Carminho.
Os fundadores com a filha.

Há uma nova marca portuguesa que quer valorizar a cortiça enquanto parte fundamental da identidade portuguesa. Para os responsáveis da CRU, este material tão tradicional do nosso País não é apenas eco-friendly, mas também uma aposta muito cool para decorar a casa quando aplicado em designs contemporâneos e elegantes. 

O ponto de partida de Beatriz Almeida, de 26 anos, foi um negócio de família que conseguiu atravessar com sucesso cinco gerações. “A CRU tem alma portuguesa e pretende dar seguimento a um negócio familiar que já conta com uma vasta história”, conta a cofundadora à NiT.

Este legado familiar ligado à cortiça começou com as suas duas tetra-avós, passou para os bisavôs, mais tarde avôs, o pai e vai continuar agora com a criação de uma marca que vende individuais de mesa, bases para copos, galheteiros, guarda-joias, rolos de ioga, sapatos e mochilas, entre muitas outras coisas. Tudo feito com cortiça.

Em março deste ano, Beatriz lançou a CRU com a ajuda do marido José Miguel, de 32 anos, que é advogado e trabalha em gestão hoteleira com impacto social na fundação ADFP, à qual pertencem o hotel Parque Serra, na Lousã, e o Conimbriga Hotel do Paço, em Coimbra.

Beatriz é natural de Santa Maria da Feira, uma zona que tem historicamente fortes ligações à cortiça. Era por lá que as suas tetra-avós produziam rolhas. Mais tarde, o avô e a avó especializaram-se e começaram a criar apenas rolhas capsuladas, aquelas que são usadas para as bebidas espirituosas e que têm características distintas por causa do teor do álcool.

Já o seu pai tentou inovar o negócio com a criação de peças diferentes, mais ligadas ao lifestyle. “Foi daí que veio o bichinho”, recorda a cofundadora. Estudou Gestão de Marketing no IPAM, criou a sua própria agência de  marketing e publicidade e mudou-se para Coimbra depois de conhecer José Miguel, com quem já teve uma filha, a Carminho.

Foi depois da filha nascer que resolveu finalmente juntar-se ao setor de negócio da família, quando percebeu que faltava no mercado português uma marca que se focasse em produzir peças decorativas infantis que fossem amigas do ambiente e que pudessem incutir os valores certos aos miúdos.

Toda essa vontade está presente na linha CRU Kids, um segmento com brinquedos e peças de decoração para os quartos dos miúdos que quer ensinar aos mais novos valores como a sustentabilidade,  consciência ambiental, responsabilidade e respeito. Ao mesmo tempo, tenta promover a criação de histórias e memórias familiares com peças interativas, pensadas para acompanhar o crescimento das crianças.

As peças são feitas a partir de desperdícios da produção de cortiça. Já esta é obtida através da extração da casca de sobreiro, um processo que só pode acontecer de nove em nove anos. “Não podia haver matéria-prima mais sustentável”, acrescenta a fundadora.

Todas as propostas da CRU são inteiramente produzidas no nosso País, mas a ambição dos fundadores é chegarem lá fora. Estão à venda na loja online, com preços que variam entre os 4,43€ e os 140€. A seguir, carregue na galeria para conhecer algumas propostas.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA