compras

Afinal, porque é que os pudins proteicos do Lidl se tornaram um fenómeno?

São saciantes, deliciosos, recomendados por nutricionistas e com uma relação qualidade-preço que deixa todos satisfeitos.
Uma opção de sobremesa, pequeno almoço ou lanche.

Quando se trata de alimentação saudável, é frequente ouvirmos falar da importância de começar o dia a ingerir proteína, sobretudo para quem treina de manhã com o objetivo de desenvolver a massa muscular. O ideal é que esta seja nutricionalmente densa e fácil de comer, sem necessitar do mesmo tempo de preparação da carne, peixe ou ovos.

Os nutricionistas da Equipa com Sentido revelam à NiT que os pudins proteicos são uma forma muito prática de conseguir um pequeno-almoço ou lanche com muita proteína. “Basta fazer uma pequena troca do típico iogurte sólido (ou líquido) por uma versão proteica e conseguimos aumentar substancialmente o teor proteico da refeição”.

O consumo proteico é importante por várias razões, sendo que se destaca o seu poder na saciedade: “É importante sentirmo-nos saciados e não estarmos sempre com sensação de um vazio”, lembram os especialistas em nutrição. A proteína não só é importante para o aspeto físico tonificado que muitas pessoas procuram. “É fundamental para a nossa longevidade, funcionalidade e autonomia”.

Se pensarmos que um iogurte sólido mais comum tem entre cinco a sete gramas de proteína por dose e um pudim proteico pode variar entre 15 a 20 gramas de proteína por dose, percebemos a importância desta diferença. “Os pudins surgem como uma alternativa doce a uma sobremesa. São uma boa opção que pode ser incluída na alimentação”, referem os mesmos especialistas. Porém: “É importante ter alguma cautela e não pensarmos que é um doce sem culpa. Tudo tem espaço na nossa alimentação”.

Para os fãs, falar de skyr sem mencionar o Lidl tornou-se impensável. Esta cadeia de supermercados tem as opções mais baratas quando se trata de produtos com elevados valores de proteína. Apesar do sucesso destes iogurtes, há outro produto que se destaca nas prateleiras, não só pela relação qualidade preço, como pela variedade de sabores. 

Os pudins proteicos da marca Milbona são muito parecidos aos famosos da Ehrmann, que lançaram esta febre por este produto. Estão disponíveis em várias versões: baunilha, chocolate, mirtilo, morango, romã e frutos exóticos. Cada pudim (200g) tem cerca de 150 calorias e 20 gramas de proteína e custa 0.99€. Não têm açúcar adicionado e são isentos de lactose e de glúten.

Porém, há um problema: encontrá-los não é tarefa fácil. A procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados. Nas redes sociais, há vários relatos de pessoas que visitaram todos os supermercados Lidl do distrito sem encontrar sinais dos pudins. Prova de que os pudins se tornaram realmente um fenómeno

Se é um destes casos e não consegue encontrar os pudins no Lidl mais perto de si, carregue na galeria para conhecer as alternativas semelhantes de outras marcas concorrentes.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA