comida

Reclamações contra delivery aumentaram quase 200% — Glovo e Uber Eats lideram queixas

Os principais motivos são o atraso na entrega e a falta de produtos. O Portal da Queixa prevê que o número suba este ano.
O número deve subir este ano.

Num ano em que as entregas ao domicílio passaram a ser o modelo de negócio de muitos restaurantes, aumentaram também as queixas a este serviço de delivery. Segundo dados do Portal da Queixa, relativos ao ano de 2020, foram registadas 3.314 reclamações relacionadas com as entregas de comida em casa, um aumento de 190 por cento em relação ao ano anterior, de 2019.

Os dados mais recentes do Portal da Queixa analisaram as reclamações feitas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2020. Em 2019, o número de clientes insatisfeitos foi de 1.144. O aumento de queixas coincide também com o aumento do número de pedidos, já que vários espaços tiveram de adaptar os serviços para responder a esta procura.

Abril (392), novembro (393) e dezembro (488) foram os meses que registaram o maior número de queixas no Portal. Entre os principais motivos das reclamações estão o atraso na entrega (28,3 por cento), pedidos de reembolso (27,5 por cento), produtos em falta (16,4 por cento) e questões relativas a códigos de desconto (10,9 por cento).

Entre os serviços que receberam mais queixas estão a Uber Eats, com 77 por cento das reclamações feitas, e a Glovo, com 21 por cento.

O Portal da Queixa prevê de este número venha a aumentar no decorrer deste ano muito devido ao aumento do número de pedidos, também em relação aos motivos já apresentados em 2020 e ainda pela diminuição da resposta e da qualidade do serviço que irá ser prestado.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA